PUBLICIDADE
Notícias

Deputado alega "ressaca" para justificar assinatura suspeita em ação pró-Cunha

"Eu bebo. Quando a pessoa está de ressaca, não escreve do mesmo jeito", disse Vinícius Gurgel à Folha de S. Paulo

11:39 | 09/03/2016
NULL
NULL
O deputado federal Vinícius Gurgel (PR-AP) afirmou que uma “ressaca” seria a causa das suspeitas levantadas em torno da assinatura de sua renúncia à vaga de titular do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. Segundo dois laudos grafotécnicos, encomendados pela Folha de S. Paulo, assinatura do deputado possuía indícios de falsificação “grosseira” e “primária”.

Aliado de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Vinícius Gurgel não estava em Brasília no último dia 1º, quando o Conselho votou a continuidade do processo contra o presidente da Câmara. Para evitar que seu suplente, um deputado do PT, votasse, Gurgel então renunciou à vaga no grupo. Outros deputados, no entanto, apontaram suspeitas de falsificação da assinatura.

[SAIBAMAIS 4]Em entrevista à Folha de S. Paulo, o deputado justificou a assinatura “incomum” afirmando que estava “de ressaca”. “Eu bebo. Quando a pessoa está de ressaca, não escreve do mesmo jeito, fica tremendo. Rabisquei lá. A assinatura realmente era minha, acho que eu tinha bebido muito no dia anterior. Assinei com pressa”, disse.

Ele afirma ainda ter deixado várias cartas de renúncia assinadas antes de deixar Brasília. Graças à sua renúncia, um deputado indicado pelo PR assumiu a vaga e votou contra o prosseguimento do processo.

Redação O POVO Online
TAGS