PUBLICIDADE
Notícias

Estiagem, corrupção e crise econômica devem pautar debates na ALCE

Os assuntos foram ponderados pelos deputados da Assembleia Legislativa do Ceará, em recesso até o dia 1° de fevereiro

16:58 | 13/01/2016
O ano legislativo no Ceará de 2016 deve ser pautado por temas recorrentes nas últimas legislaturas: estiagem, corrupção e crise econômica e política no País. Os assuntos foram ponderados pelos deputados da Assembleia Legislativa do Ceará, em recesso até o dia 1° de fevereiro.
[SAIBAMAIS 3]
Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), as chances de mais um ano com influência do fenômeno El Niño na pré-estação chuvosa do Ceará, entre dezembro de 2015 e fevereiro de 2016, são de 85%. Caso ele tenha força frente às condições do Oceano Atlântico, 2016 pode ser o quinto ano consecutivo de seca no Estado. A última vez que o Ceará enfrentou seca tão prolongada foi entre 1979 e 1983.

Para o deputado Bruno Pedrosa (PSC) a maior preocupação para este ano é a estiagem. “Temos que ter muita cautela. No que for possível, ajudar o Governo a planejar as ações em relação à seca, mas, ao mesmo tempo, cobrar, fiscalizar para que seja feito o necessário para que as pessoas não fiquem sem água. Acho que 2015 foi satisfatório, mas nos próximos três anos precisaremos trabalhar mais ainda”, pondera.

O deputado Roberto Mesquita (PV) torce para que, em 2016, haja chuva suficiente para recompor os reservatórios. O parlamentar também pontua a necessidade de que as políticas públicas - “que são tão caras ao povo cearense” -, sobretudo as de saneamento básico, saúde e segurança pública, possam ser efetivadas para o bem de toda a população.

Crise econômica
Em relação à crise econômica, financeira e política do País, Mesquita espera que o ambiente político volte à normalidade, devido às influências na economia. “Estamos vivendo período inflacionário e recessivo, duas situações antagônicas e perversas”, assinala.

O deputado Walter Cavalcante (PMDB) espera que, em 2016, os brasileiros possam vislumbrar um País diferente, com cenário político “bem mais organizado”. O parlamentar lamentou, no entanto, que o cenário não seja muito positivo. “Mas, tenho certeza que passada a limpo essa situação difícil, vamos poder trabalhar pensando no Brasil, olhando principalmente os anseios da população”, acrescenta.

O deputado Ferreira Aragão (PDT) cobra que, em 2016, haja apuração das irregularidades e o retorno do dinheiro aos cofres públicos. “Pois o dinheiro é do povo, para ser aplicado em políticas públicas", ressalta. (Com informações da Agência AL)

Redação O POVO Online
TAGS