PUBLICIDADE
Notícias

Vereador e secretário de Assaré são denunciados por uso de máquina do PAC

Além deles, dois servidores também estão sendo acusados pela utilização de uma motoniveladora em terreno particular do vereador Raimundo Moacir

20:39 | 10/04/2015

O vereador de Assaré, Raimundo Moacir Mota Júnior, o secretário municipal de Obras, João Batista Bezerra, e os servidores públicos Raimundo Diego Alencar Rogério e Francisco de Assis Domingos, foram denunciados pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), acusados pelo crime de peculato.

Segundo o MPCE, a acusação corresponde ao uso de uma máquina do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) do Governo Federal em benefício do vereador.

O caso ocorreu em 18 de julho de 2014, quando o equipamento foi flagrado sendo utilizado no terreno de propriedade de Raimundo Moacir, para limpeza do local, que fica ao lado de onde seria realizada a festa da Vaquejada do município. Segundo o promotor responsável pela denúncia, Davi Carlos Fagundes Filho, tudo indica que o terreno seria usado para estacionamento da festa, com cobrança do serviço, a ser revestida em favor do vereador.

Davi explica ainda que, mesmo não havendo cobrança de valores, a situação se converteria em ganho político para o vereador.

Com as investigações foi concluído que o uso da máquina só é autorizado pelo secretário de Obras, João Batista, que ao atender o pedido, convocou os servidores Diego e Francisco de Assis, este último para operar o equipamento.
[SAIBAMAIS1]
De acordo com o MPCE, a máquina motoniveladora custou aos cofres públicos R$ 351.500,00. Diante das provas, os denunciados foram condenados por danos materiais, sendo cobrado o valor de R$ 250, e por danos morais e sociais, cobrada a quantia de R$ 300.000,00, totalizando R$ 300.250,00.

Tianguá

Em março deste ano, caso semelhante foi denunciado no município de Tianguá, a 335,8 km de Fortaleza. A Polícia Civil apreendeu uma máquina do PAC 2 que estava em uso em propriedade particular. Na ocasião, o motorista que operava o equipamento foi ouvido.

Redação O POVO Online

TAGS