PUBLICIDADE
Notícias

PT pode ter recebido de US$ 150 mi a US$ 200 mi, diz Barusco

"Existia uma reserva para o PT receber. Não sei como o Vaccari recebeu", afirmou o ex-gerente-executivo da Diretoria de Serviços da Petrobras Pedro Barusco, nesta terça-feira, 10, durante seu depoimento à CPI da Petrobras

12:55 | 10/03/2015
O ex-gerente-executivo da Petrobras Pedro Barusco disse em depoimento à CPI criada na Câmara para investigar o esquema de corrupção na estatal que existia uma reserva destinada ao PT no valor que recebia de propina de empreiteiras.

 

"Existia uma reserva para o PT receber. Não sei como o Vaccari recebeu", afirmou Barusco, mencionando João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, e afirmando não saber para quem no partido a verba era repassada.

[SAIBAMAIS 1]

Barusco estima que o PT tenha recebido de US$ 150 milhões a US$ 200 milhões. Questionado se seria o "pai" da propina na Petrobras, o ex-gerente riu e negou.

 

No depoimento que presta desde o final da manhã desta terça-feira, 10, Barusco também afirmou que as empresas já apresentaram preços altos no primeiro momento. "Sentimos a ação forte de cartel", afirmou. "Na minha avaliação não houve superfaturamento no Comperj. O que teve foi preço elevado".

 

Contudo, Barusco isentou a diretoria executiva da estatal de ter conhecimento do esquema de corrupção "institucionalizada" que começou a funcionar em 2004.

 

Questionado pelo deputado Carlos Sampaio, líder do PSDB, se o presidente da Petrobras à época, José Eduardo Dutra, e os demais diretores tinham conhecimento da distribuição de propina, o delator afirmou que "era impossível o presidente saber se tinha ou não esquema em todos os contratos".

 

Com imagens

 

O depoimento do ex-gerente está sendo acompanhado por profissionais de imagem (fotógrafos e cinegrafistas). O vice-presidente da comissão, Antonio Imbassahy (PSDB-BA), convenceu Barusco e sua advogada, Beatriz Catta Preta, a voltarem atrás na decisão inicial que era manter a sessão fechada para o acompanhamento desses profissionais.

TAGS