PUBLICIDADE
Notícias

Suástica é pichada em sede do PSOL no interior de SP

15:40 | 05/12/2014
A sede do Partido Socialista e Liberdade (PSOL) foi atacada por vândalos que picharam uma grande suástica no portão que dá acesso à sala de reuniões do partido, em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. A pichação veio acompanhada da frase: "Nós temos armas e vcs?". A Polícia Civil vai investigar o caso, registrado nesta sexta-feira como ameaça pelo delegado Amauri Scheffer de Oliveira, do 3º Distrito Policial de Rio Preto.

A pichação foi constatada ainda na noite de ontem por um integrante que avisou o presidente do diretório local, Pedro Roberto Gomes. "Estamos assustados, porque se trata de uma agressão", afirmou Gomes. "Já nos agrediram outras vezes, mas não com uma ameaça dessas", completou. "É uma coisa desagradável pois não se trata de qualquer desenho e tem uma frase assustadora pichada justamente na sede do partido, bem na porta que dá acesso à sala de reuniões", explicou Gomes.

É a primeira vez que um símbolo nazista é pichado na sede de um partido em Rio Preto, mas não é a primeira ação semelhante contra o PSOL. "Há cerca de dez dias, um militante de nosso partido, um professor, teve a parede da casa dele pichada com uma suástica", contou Gomes. "Suspeitamos que seja a mesma pessoa, pois as letras são parecidas, mas não sabemos dizer de quem se trata", completou o dirigente.

Gomes disse que as datas das duas pichações se coincidem com a discussão sobre a eleição da presidência da Câmara Municipal de São José do Rio Preto. "A primeira foi bem próxima do dia que fizemos uma manifestação feita contra os procedimentos suspeitos realizados pela Câmara para eleição do seu presidente. E a segunda, foi próxima da própria eleição para presidente, realizada na última terça-feira, 2", comentou. "Não estou acusando ninguém, mas há essa coincidência", afirmou.

Segundo o presidente do PSOL, o partido tem incomodado muitos políticos locais com as manifestações dos jovens sobre assuntos polêmicos. "Nossos militantes sempre estão na rua, em panfletagem, em mobilizações, como da discussão sobre a Presidência da Câmara. Pode ser que isso esteja relacionado com as agressões, mas não temos como afirmar isso", disse. Na próxima semana, o Instituto de Criminalística deverá analisar as duas pichações para saber se foram feitas pela mesmo pessoa.

O atual presidente da Câmara Municipal, Paulo Paléra (PP), diz que condena a pichação. "Isso é um absurdo. É uma agressão contra a democracia, contra os partidos de nossa cidade, com ou sem representação na Câmara", afirmou. No entanto, Pauléra disse não crer na relação da pichação com a sua sucessão. "Aqui são os vereadores que votam, além disso, o PSOL nem tem representação nesta Casa, não há vereador do partido aqui", afirmou. "Não se trata disso, com certeza", concluiu. O presidente eleito da Câmara, Fábio Marcondes (PR), disse desconhecer a pichação. "Nem sabia disso (pichação) nem sabia que o PSOL tem sede em Rio Preto, não sei onde fica essa sede e não sei quem é seu presidente. Não tem nada a ver uma coisa com a outra", afirmou.

TAGS