PUBLICIDADE
Notícias

Sérgio Machado prorroga licença na Transpetro e deve deixar o cargo em janeiro

O cearense está afastado desde que foi citado por Paulo Roberto Costa como envolvido em esquema de corrupção. Machado nega as acusações

11:07 | 05/12/2014
NULL
NULL
Licenciado desde o início de novembro, o cearense Sérgio Machado (PMDB) prorrogou por mais um mês sua licença como presidente da Transpetro. A informação é da coluna Radar Online, da revista Veja, que informa que a primeira licença do dirigente expirou ontem. Desde o início de dezembro, circula informação de que o cearense deve deixar o cargo em definitivo.

Machado se afastou temporariamente do cargo após ser citado pelo ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, como envolvido em esquema de corrupção investigado na Operação Lava Jato. Segundo a Veja, o dirigente planeja virar o ano como presidente licenciado, se afastando definitivamente no início de janeiro.

[SAIBAMAIS 3]Subsidiária da Petrobras na área de logística e transporte, a Transpetro é uma das maiores empresas do Brasil. Criada há 16 anos, no processo de fim do monopólio da Petrobras – antes era uma diretoria da estatal – é dirigida há 11 por Sergio Machado – mais de dois terços da existência da Transpetro.

Ex-senador, ex-deputado federal e ex-secretário do primeiro governo Tasso Jereissati, Machado é o executivo de primeira linha que está há mais tempo no mesmo cargo no Governo Federal. Ele comanda a empresa desde o primeiro ano do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em depoimento, Costa disse que recebeu R$ 500 mil em dinheiro das mãos de Machado, como parte do esquema de corrupção. Machado disse que a acusação é “leviana e absurda” e que tomava iniciativa de se afastar temporariamente “para que sejam feitos, de forma indiscutível, todos os esclarecimentos necessários”.

Redação O POVO Online
TAGS