PUBLICIDADE
Notícias

Edinho diz que 'já tem condições' de iniciar os trabalhos no ministério

20:00 | 30/12/2014
Destacado pela presidente Dilma Rousseff como novo ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP), o deputado Edinho Araújo (PMDB-SP) afirmou que, depois de três horas de conversa com técnicos e o atual titular da Pasta, César Borges, nesta terça-feira, 30, já tem "condições de iniciar os trabalhos". "Ele (Borges) me apresentou muito dos trabalhos que estão sendo desenvolvidos, os relatórios, eu já tenho estudado um pouco e, portanto, temos condições de iniciar os trabalhos. É claro que é uma Pasta que exige muita atenção, cuidado, trabalho, e vamos fazer isso", afirmou.

O novo ministro disse que teve apenas uma conversa com Dilma, pouco antes de acertar a nomeação. A presidente, segundo ele, pediu foco na busca por investimentos no setor. "A presidenta procurou realçar que é preciso muito trabalho e que ela quer que o setor avance, destrave e melhore, considerando a importância dele dentro do contexto da nossa economia", disse.

Araújo chega ao comando de Portos pela mão do vice-presidente Michel Temer. A pasta de Portos será o sexto ministério do PMDB no governo Dilma - o partido chefiava cinco Pastas até agora. De acordo com o novo ministro, sua chegada reforça a responsabilidade do PMDB no governo e exige bom desempenho para manter o espaço alcançado. "Eu sou um homem do PMDB nesse governo de aliança, de coalizão. Acho que fazendo um bom trabalho, espero que esse resultado vá ocorrer, o PMDB ganha com isso", considera.

Deputado federal no final do terceiro mandato e indo para o quarto período na Câmara, após reeleição em outubro, Araújo ainda estuda como será a ocupação dos cargos do segundo escalão do ministério pelo PMDB. "Estou tomando pé da situação e vamos fazer algumas alterações, sempre buscando gente competente e com espírito público", disse. "Acho que o PMDB ganha com trabalho. Essa é a minha responsabilidade".

Experiência

Edinho Araújo não tem experiência no setor portuário. Ele creditou a nomeação para a Secretaria de Portos ao histórico como deputado estadual e federal, além de prefeito das cidades paulistas de Santa Fé do Sul e São José do Rio Preto. "Eu sou político e não nego", disse. "Sou um político com sensibilidade para as questões sociais e com muita disposição de contribuir para a economia do País, ouvindo técnicos competentes. Procurarei me cercar de técnicos", indicou.

O novo titular de Portos acredita que irá compensar a falta de conhecimento técnico com a habilidade política para dialogar com prefeitos e governadores sobre novos projetos portuários. "A questão portuária no Brasil e a organização dos portos envolve mão de obra, capital, investimento e interage com municípios e Estados. E vamos fazer esse trabalho", disse.

TAGS