PUBLICIDADE
Notícias

Confusão em eleição na Câmara de Iguatu repercute na Assembleia

18:01 | 17/12/2014
O processo de eleição da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Iguatu que terminou em confusão na segunda-feira, 15, repercutiu nesta quarta-feira, 17, na Assembleia Legislativa do Ceará, nos pronunciamentos dos deputados Mirian Sobreira (Pros) e Danniel Oliveira (PMDB).

Durante a votação, ao serem contados os votos dos 17 vereadores, percebeu-se a existência de um voto a mais com assinatura falsificada do presidente da Casa, vereador Bandeira Júnior. A Polícia Militar precisou intervir.

Durante o tempo de liderança,
Danniel Oliveira disse que o caso precisa ser apurado e destacou o papel do presidente da Câmara Municipal, vereador Bandeira Júnior (PMDB), no processo.

“Não subo a esta tribuna para fazer defesa de ninguém, mas para constatar e falar um pouco sobre a verdade. Tenho prova que houve de fato a irregularidade na eleição, mas não por parte do Bandeira Júnior, que é o atual presidente”, afirmou.
[SAIBAMAIS 1]
Danniel Oliveira narrou conteúdo de suposto vídeo que mostra o momento em que o vereador de oposição, Joaquim do Pezão (PSB), toma a cédula falsa das mãos do presidente Bandeira Júnior e entrega ao vereador Rubenildo Cadeira (PRB), que em seguida a esconde no bolso interno do paletó. Cadeira concorre à presidência da Casa e tornou-se desafeto político da base após as eleições de 2014.

Em contrapartida, a deputada Mirian Sobreira contestou o pronunciamento do deputado sobre o caso. Segundo a parlamentar, a responsabilidade pela confecção das cédulas de votação nas eleições é da presidência da Câmara e não existe a possibilidade de a votação ter sido fraudada pela oposição.

“Como a oposição ia fazer uma cédula falsa se elas foram entregues pelo presidente da Câmara?”, questionou Mirian Sobreira. A deputada informou ainda que as cédulas de votação foram encaminhadas à Promotoria Pública de Iguatu onde serão analisadas.

Redação O POVO Online
com informações da Agência AL
TAGS