PUBLICIDADE
Notícias

Redução de pena por leitura gera bate-boca entre deputados

O deputado Ely Aguiar (PSDC) chamou a proposta de "agressão à família brasileira". Já Manoel Duca (Pros) afirmou que o colega estava "equivocado"

11:07 | 26/11/2014

A proposta do governo cearense de reduzir penas de internos do sistema carcerário através da leitura de livros foi tema de discussão entre os parlamentares da Assembleia Legislativa. A iniciativa, que pode reduzir a pena do detento até o limite de 48 dias por ano, foi chamada de "agressão à família brasileira" pelo deputado Ely Aguiar (PSDC). Já o deputado João Jaime (DEM) afirmou que se acabaria por reduzir a pena "de estupradores e assassinos".

 

[SAIBAMAIS 1]Entre os defensores da matéria, o deputado Manoel Duca (Pros) afirmou que Ely Aguiar estava equivocado em sua análise do tema. "O deputado deu a ideia de que a coisa vai ser frouxa", afirmou. Segundo ele, há o acompanhamento do juiz em relação à execução da medida. Mas ele concordou com o colega João Jaime no que diz respeito à concessão do benefício para crimes hediondos."Esse não tem que ter benefício nenhum", afirmou.

Segundo declarou na tribuna a deputada Eliane Novais (PSB), a secretária estadual de Justiça Mariana Lobo se reuniu hoje com os deputados para tratar do tema. 

 

Redação O POVO Online

TAGS