PUBLICIDADE
Notícias

Proposta de unificação de controle interno gera polêmica

A oposição fala em "perda de autonomia" do ouvidor municipal. Líder do prefeito afirma que a proposta trará "melhor gestão".

14:01 | 25/11/2014

O prefeito Roberto Cláudio (Pros) viu aprovada hoje, na primeira de suas votações, sua proposta de modificar a Lei Orgânica de Fortaleza para unificar as funções de controladoria, ouvidoria e corregedoria em um único órgão. Mas o projeto não ficou sem críticas.

“É mais uma porta fechada para a população de Fortaleza”, declarou o vereador Guilherme Sampaio (PT), líder da oposição. A crítica dele concentra-se em dois pontos: o novo projeto suprime o trecho que falava do mandato de dois anos do ouvidor, o que tornaria o ocupante do posto livremente indicado (e exonerado) pelo prefeito. O segundo problema seria a supressão no projeto da ainda necessária sabatina pelo vereadores. “Um enfraquecimento pelo papel da Câmara”, na opinião de Guilherme.

Nos próximos dias, diante da derrota em primeira votação, os oposicionistas devem apresentar emenda tentando retornar com a “autonomia do ouvidor”, nas palavras de Guilherme. Na opinião dele, essa “não é uma matéria de um governo ou oposição, mas uma matéria que interessa a cidade”.

O POVO tentou entrar em contato com o líder do governo, vereador Evaldo Lima (PCdoB), mas as ligações não foram atendidas. No debate do plenário de hoje, ele afirmou que a medida buscava dar “melhor governança” aos dispositivos de controle interno do Paço Municipal.

 

Redação O POVO Online

TAGS