PUBLICIDADE
Notícias

Em meio a "crise na saúde", MP pede cassação do prefeito de Quixadá

Câmara irá analisar o caso. Segundo o MP, o gestor teria mantido contratos em mais de R$ 10 milhões com o objetivo de burlar limite de gastos com pessoal

13:11 | 05/11/2014
O Ministério Público do Ceará (MP-CE) entrou com representação na Câmara Municipal de Quixadá pedindo cassação do prefeito do Município, João da Sapataria (PRB). Segundo o MP, o gestor teria mantido por dois anos contratos em mais de R$ 10 milhões com o objetivo de burlar limite de gastos com pessoal previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal. O Legislativo irá avaliar o pedido.

Apesar dos altos gastos constatados nos contratos, o MP teria constatado “grave crise” na saúde do Município, “a ponto de faltarem medicamentos e insumos básicos, como antibióticos, seringas, gaze, gesso, dentre outros, por meses a fio”, explicam os promotores André Clark e Elnatan Júnior.

Na investigação dos dois, foi constatado grave prejuízo aos cofres públicos. Além da cassação de João da Sapataria, o órgão também entrou com duas ações civis públicas (ACPs) contra o prefeito. O MP também pede regularização do fornecimento de medicamentos e material médico-hospitalar, assim como concurso público para profissionais de saúde.

A reportagem tentou entrar em contato com a Prefeitura de Quixadá através de diversos números da assessoria de imprensa e da chefia de gabinete disponibilizados no site da gestão. Nenhum dos telefonemas foi atendido.

Redação O POVO Online
com informações do MP-CE
TAGS