PUBLICIDADE
Notícias

Carlomano critica "blocão" de mensagens e diz que nenhum deputado conhece projetos

Segundo peemedebista, dez mensagens enviadas por Cid sequer seriam conhecidas pelos deputados. Ações vão desde criação de cargos a aumento de valor de obras

11:13 | 06/11/2014

Logo após 1º discurso de Camilo Santana (PT) como governador eleito, deputados da Assembleia bateram boca por conta de “blocão” de dez mensagens enviadas por Cid Gomes (Pros) à Casa. Segundo Carlomano Marques (PMDB), os projetos estariam sendo “enfiados goela abaixo” pela gestão, sem qualquer discussão. O peemedebista chegou inclusive a dizer que nenhum deputado – com exceção ao líder do governo – teria sequer conhecimento sobre as matérias.

"Fazer isso, mandar um abalroado de mensagens no apagar da gestão, é um atropelamento, de um oportunismo. Nenhum deputado aqui, com exceção ao líder do governo, tem sequer conhecimento necessário para votar essas mensagens. Eu desafio aqui, pergunte um por um para discutir”, disse, pedindo que a Casa adiasse a votação das mensagens.

Classificando o pacote como "um bucho", o deputado destacou que eram propostas importantes, indo desde criação de cargos, transferência de recursos, doações de áreas do Estado e aumento valor de obras que sequer teriam sido licitadas. "É um oportunismo triste querer colocar de goela abaixo num parlamento essas mensagens", diz.

Entre as dez mensagens enviadas por Cid Gomes, sete foram aprovadas nesta quarta pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da Casa.

Mensagens urgentes; mas nem tanto

O líder do governo na Casa, Dr. Sarto (Pros), destacou que diversas das matérias já se encontram na Casa desde agosto. Segundo ele, elas só não teriam sido votadas por conta do período eleitoral. Sarto e outros deputados da base destacaram ainda que muitas das mensagens são urgentes e de grande importância - não podendo ser adiadas.

Durante o período eleitoral, a Assembleia reduziu seu número de sessões para apenas uma por semana. Havia compromisso, no entanto, de realizar reuniões caso surgissem mensagens urgentes ou importantes. Mesmo com a base aliada afirmando que "blocão" inclui projetos do tipo, nenhuma sessão foi feita durante o período.

Redação O POVO Online
TAGS