PUBLICIDADE
Notícias

Marina não manifesta claramente apoio

23:00 | 05/10/2014
A candidata do PSB, Marina Silva, sustentou um discurso neste domingo de vitória mesmo em meio à derrota de não ter chegado ao segundo turno. Apesar de não dar respostas diretas sobre eventual apoio à candidatura do PT ou do PSDB e de deixar em aberto a opção de repetir a neutralidade de 2010, Marina sinalizou uma inclinação em apoiar o tucano Aécio Neves. "Eu assumi a postura de não me recolher numa anticandidatura, o que pode ser uma tendência. Assumi o compromisso da mudança indo apoiar Eduardo Campos", disse durante coletiva de imprensa. Ela pontuou em diversos trechos de sua fala, contudo, que a aliança dependerá de coerência e compromisso com o programa de governo, elaborado com os partidos da coligação que a apoiaram.

Questionada sobre um possível apoio a Dilma, Marina também não respondeu diretamente, mas deu outra sinalização de alinhamento com a outra candidatura de oposição, do PSDB. "Nosso programa é coerente com outro caminho, com outra maneira de caminhar. Temos que ser coerentes com o movimento que representamos de mudança qualificada. A sociedade brasileira está dizendo que não quer o que está aí, da forma que está aí."

Marina Silva repetiu a mensagem que havia sido colocada pouco antes pelo presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, de que os partidos coligados vão se reunir internamente e tentarão tirar uma posição conjunta. A coligação é formada por PSB, PPL, PPS, PRB, PHS e PSL, além da Rede Sustentabilidade de Marina, que apesar de não ser legalmente um partido é tratado como estrutura independente dentro da coligação. "Decidimos que queremos tomar uma posição conjunta, mantendo aquilo que nos uniu que é o programa. Todos os partidos farão reuniões e estaremos dialogando entre nós", disse a candidata.

TAGS