PUBLICIDADE
Notícias

Lula diz que Aécio busca '30 segundo de glória'

19:50 | 02/10/2014
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou nesta quinta-feira, 2, as denúncias do senador e candidato à Presidência, Aécio Neves (PSDB), de que os Correios deixaram de entregar correspondência de campanha dos candidatos tucanos para os destinatários. "Eu acho uma bobagem. Sabe o acontece, em época de eleição cada um fica procurando 30 segundos de glória. O Aécio que mande carta", afirmou Lula, após o último comício da campanha, feito em São Miguel Paulista, zona leste da capital.

Segundo Aécio, o PSDB chegou a enviar propaganda para todos os domicílios de algumas cidades e que nenhuma dessas correspondências chegou aos eleitores. "O PT ultrapassou todos os limites no uso do Estado para seu próprio projeto de poder. Aconteceu com a Petrobras, com os Correios. Onde vamos parar? O PSDB está entrando no TSE com uma denúncia de abuso de poder político e também com uma ação criminal, com base no Código Penal, por inutilização e descarte de material de campanha", afirmou o candidato tucano.

Ataque aos tucanos

Em seu terceiro discurso do dia, Lula mirou seus ataques ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) ao pedir votos para o petista Alexandre Padilha e estendeu as críticas ao partido. "Acho que está na hora de São Paulo ser governada por outro passarinho que não seja um tucano", disse. "A fauna brasileira é tão grande, mas aqui em são Paulo parece que gostam de gente que tem o bico grande, que é predador, porque o tucano é bonito, mas ele come filhote", afirmou.

Segundo Lula, o governador não percebe a seriedade que é a questão da falta d'água em São Paulo e não assume sua responsabilidade na questão da segurança publica. Lula disse que tem escutado diversos relatos de que a violência tem aumentado e que agora roubam "até os pobres nos pontos de ônibus".

"A gente não vê o governo fazer nada. Quando perguntam para ele a questão da violência, ele diz que a culpa é da Dilma, que não toma conta da fronteira. Não é questão de fronteira, é questão de falta de vergonha e de compromisso", acusou.

O ex-presidente disse ainda que quem está no governo há 20 anos "não pode jogar a culpa em ninguém". "Ou tem que dar resposta ou dizer que não deu conta." Depois de citar a crise econômica mundial e reforçar que o governo da presidente Dilma Rousseff conseguiu enfrentar os problemas sem causar desemprego, Lula voltou a dizer que "não se pode brincar" nas eleições. "Votar para presidente não é um jogo de loteria. Temos que votar sabendo perfeitamente bem quem é que vai cuidar da gente".

Maratona paulista

Lula comentou ainda a decisão de focar suas atividades e fazer uma extensa agenda de campanha em São Paulo e nos principais redutos petistas. Segundo ele, sua decisão de ficar em São Paulo era importante para reforçar a campanha de Dilma e fazer a do Padilha crescer. "Nós temos aqui em São Paulo um conjunto de ataques ao PT, aqui tem um ninho e uma revoada de tucanos todo santo dia. E nós precisamos levantar o moral para enfrentar os tucanos aqui", disse.

Pela lei eleitoral, a partir de amanhã, as atividades com carro de som são proibidas, mesmo assim Lula continuará reforçando a campanha em São Paulo e fará uma caminhada ao lado de Padilha e da presidente Dilma Rousseff no centro de São Paulo. No sábado, véspera da eleição, eles farão uma outra caminhada silenciosa em São Bernardo.

TAGS