PUBLICIDADE
Notícias

Dino diz que quer pôr o Maranhão 'no século 21'

23:00 | 05/10/2014
Logo após o resultado das urnas, o governador eleito do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou, em entrevista, que pretende pôr o Estado no "século 21" sem "devassa" ou "inquisição" contra o grupo do senador José Sarney. Ele disse, no entanto, que não terá "condescendência" com irregularidades e denunciará possíveis desvios de recursos que aparecerem nas contas públicas. "Toda vez que encontrarmos algo errado, vamos denunciar, mas nunca com espírito de perseguição", disse. "Nunca mais haverá oligarquia e coronelismo."

Ao lado de Manoel Conceição Santos, 79 anos, o Mané da Conceição, figura histórica do movimento camponês, Dino ressaltou que o "espírito comunista e cristão", alvo da campanha do grupo adversário, marcará seu futuro governo. "É um momento especial na política maranhense. Nosso Estado entra finalmente no século 21. Derrotamos para sempre o coronelismo. Foi o povo simples e humilde, normalmente sem vez e voz que nos deu essa vitória", disse. "É com esse espírito comunista e cristão que vou comandar o Estado."

Ele ressaltou que, entre as prioridades de seu governo, está a redução da pobreza, a melhoria das condições de vida no sistema prisional, a redução da criminalidade e o combate a práticas de irregularidades na administração pública. Dino afirmou que pretende focar ações em 20 pequenas cidades com os menores índices de desenvolvimento humano do Estado. "O principal problema a ser vencido é a pobreza", destacou. "Nosso governo combaterá a exclusão social. "Ganhamos a eleição porque o povo acreditou que podemos fazer um governo com honestidade, sem relação com pessoas de trajetória política duvidosa."

TAGS