PUBLICIDADE
Notícias

Prefeito de Aiuaba é reempossado após suspeitas de corrupção

20:25 | 17/09/2014

Após quatro meses afastado da Prefeitura de Aiuaba, o prefeito Aírton Araújo (Pros) foi reintegrado nesta quarta-feira, 17, ao cargo de prefeito. O afastamento ocorreu por suspeitas de corrupção.

Aírton foi reintegrado durante uma seção extraordinária na Câmara Municipal. Segundo o advogado do prefeito, Charles Soares, uma decisão monocrática do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE) garantia que Airton fosse reempossado nesta quinta-feira. “Acabou a finalidade do afastamento. Ele já testemunhou e a documentação está toda nas mãos do Ministério Público. Se for esperar o julgamento do caso, ele perderia o cargo na burocracia do Poder Judiciário”, argumenta.

Depois da posse, o prefeito igreja matriz de Nossa Senhora do Patrocínio, onde ele e seus familiares fizeram um agradecimento. Em seguida, ele saiu do local e participou de uma caminhada pelas ruas da cidade. Populares acompanharam o gestor durante o trajeto.

"Vou procurar resolver os problemas da cidade. Quando entrei na Prefeitura, em 16 de janeiro de 2014, estava tudo atrasado. Com o afastamento, o povo sentiu falta. Sempre fui muito justo", disse o prefeito ao O POVO Online.

Prisão
Airton Araújo e outras três pessoas ligadas à Prefeitura e parentes do prefeito chegaram a ser presos no último dia 23 de abril, durante operação do Ministério Público Estadual com a Polícia Civil do Ceará. De acordo com Charles Soares, o prefeito ficou detido por 16 dias. Eles eram acusados de praticarem crimes contra a administração pública, como fraude em licitações, lavagem de capitais, peculato, formação de quadrilha ou bando, desvio de verbas públicas e enriquecimento ilícito.

Segundo a Polícia Civil, na casa do prefeito foram encontrados um revólver calibre 38 e R$ 7 mil em dinheiro, cuja origem Airton Araújo não soube explicar. Também foram apreendidos documentos e extratos bancários de alto valor. Outra arma foi encontrada na operação com um familiar do prefeito.

Redação O POVO Online

(Colaborou Amaury Alencar)

TAGS