PUBLICIDADE
Notícias

Rede aponta uso indevido de imagem de Marina

20:45 | 25/07/2014
Após o episódio envolvendo a informação de que a imagem da ex-senadora Marina Silva seria utilizada em material da campanha à reeleição do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), a Rede Sustentabilidade - sigla em formação liderada pela vice de chapa de Eduardo Campos (PSB) à Presidência da República - divulgou nota na tarde desta sexta-feira, 25, afirmando que considera indevida tal associação em Estados onde não há o apoio dos "marineiros".

"O uso da foto de Marina Silva - ou do logo da Rede - em materiais de comunicação ou quaisquer outras atividades de campanha está restrito às candidaturas estaduais majoritárias apoiadas formalmente pela Rede. Nos lugares em que não ocorre esse apoio, qualquer utilização de fotos constitui-se uso indevido da imagem da Marina", diz o texto.

São Paulo foi um dos focos de tensão entre os apoiadores da Rede e o PSB, que optou por fazer aliança com o PSDB de Alckmin. Marina pregou o lançamento de uma candidatura própria, sugeriu nomes ligados à Rede, mas sua proposta foi vencida e o deputado Márcio França, presidente do diretório estadual do PSB, foi indicado vice da chapa do tucano. Marina se recusa a fazer campanha ao lado do governador do PSDB.

Segundo o jornal "Folha de S.Paulo", um material de campanha com foto de Marina ao lado de Alckmin teria sido preparado para ser distribuído nos comitês chamados "Edualdo". Fontes ligadas à campanha chegaram a dizer que houve uma confusão com um material feito sem autorização em Marília, no interior do Estado.

Na nota assinada pela Comissão Executiva Nacional, a Rede diz que sua aliança é com o PSB, PPS, PPL, PHS e PRP em torno da candidatura de Eduardo Campos. "Essa aliança não se reproduz automaticamente em todas as eleições para os governos estaduais, havendo Estados em que esses partidos apoiam candidaturas diferentes", reitera a legenda em formação.

TAGS