PUBLICIDADE
Notícias

PSOL acusa PMs de lançar gás em candidata

08:50 | 19/07/2014
A candidata do PSOL à Presidência, Luciana Genro, disse ter sido atingida ontem por jatos de spray de pimenta usados por dois policiais militares durante um evento de campanha na Avenida Paulista, no centro de São Paulo. Ela afirmou que o partido entrará com um pedido formal exigindo uma audiência com o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella, para que o governo explique a ação dos PMs.

"Policiais com comportamento fascistoide são resultado de um governo fascistoide, que reprime protestos e demite grevistas", disse Luciana. "É uma afronta à democracia e o governador (do PSDB, Geraldo) Alckmin tem que se pronunciar."

Os dois policiais militares dispararam gás de pimenta contra o grupo de cerca de 100 militantes e simpatizantes do PSOL. Os PMs estavam com as latas de gás na altura da cintura - segundo testemunhas, para disfarçar o disparo dos jatos. Entre os atingidos pelo gás estavam o deputado federal Ivan Valente (SP), o deputado estadual Carlos Giannazi (SP) e o candidato do PSOL ao governo de São Paulo, Gilberto Maringoni.

Os policiais não foram identificados. O capitão da PM Emerson Massera afirmou que a polícia vai abrir uma investigação interna para identificar os policiais e apurar se houve abuso.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

TAGS