PUBLICIDADE
Notícias

Oposição a Dilma se manifesta após título da Alemanha

21:20 | 13/07/2014
A candidata à vice-presidência pela chapa de Eduardo Campos (PSB), a ex-senadora Marina Silva, e a candidata do PSOL à Presidência da República, Luciana Genro, utilizaram a internet para fazer comentários em relação à Copa do Mundo no Brasil. Enquanto Marina exaltou a conquista da Alemanha, Luciana aproveitou para reforçar as críticas à realização da Copa do Mundo no Brasil.

"Os alemães nos mostraram na persistência e na agilidade de seus pés uma nova maneira de caminhar", destacou Marina. "Os novos tetracampeões nos deixam a confirmação e a lição de que preparo, visão de longo prazo e atitude colaborativa são as boas tendências deste século", complementou.

Já a candidata do PSOL avalia que o legado da Copa do Mundo é a demonstração de que foi feito um uso indevido do futebol para grandes negócios, criando praticamente um "estado de exceção", beneficiando algumas empresas que atuaram no mundial, mas principalmente a Fifa. "O PSOL foi o único partido contra a lei da Copa e isso agora se mostra correto. O povo se indignou. O triste resultado da seleção frustrou ainda mais as pessoas. As pessoas estão cansadas desses jogos escusos. A podridão do sistema político também se reflete no futebol", disse.

A candidata destaca que o contraste entre a ostentação da Copa e a precariedade dos serviços públicos gerou ainda mais raiva na população. Segundo Luciana Genro, o futebol brasileiro tem problemas que vão desde a falta de transparência da CBF, com a estrutura dos clubes, à falta de respeito aos jogadores que não são estrelas, mas atuam nos pequenos clubes.

"Uma reforma no nosso futebol é uma coisa necessária. Nenhum dos candidatos dos grandes tem esse emprego. PT está há 12 anos. Agora, inclusive, estão prevendo uma anistia para as dívidas dos clubes, enquanto sabe-se que muitos dirigentes são milionários. O Aécio é muito amigo da direção da CBF, homenageou o Marin", criticou.

Quanto às vaias enfrentadas neste domingo por Dilma no Maracanã, Luciana considerou que foram normais. "O que não foi normal foi o xingamento, com palavras de baixo calão, como houve antes. A vaia é normal."

TAGS