PUBLICIDADE
Notícias

Justiça barra candidatura de Leonelzinho por não pagar multas eleitorais

Segundo o TRE, o vereador pagou a dívida apenas no dia 12 de julho, uma semana depois do fim do prazo legal

14:29 | 24/07/2014
NULL
NULL

O vereador Leonelzinho Alencar (PTdoB) teve seu registro de candidatura indeferido agora há pouco pelo Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE). Segundo a Corte, o parlamentar possuía uma série de multas da eleição de 2012 não quitadas, decorrentes da pintura indevida de muros. Leonelzinho, que poderá recorrer da decisão, havia pedido registro para concorrer a deputado federal.

Segundo a assessoria de imprensa do TRE, o vereador pagou as multas apenas no dia 12 de julho, uma semana depois do fim do prazo legal para a quitação eleitoral – 5 de julho. Por conta do atraso, teve registro contestado e indeferido pela Justiça Eleitoral.

Procurado pela reportagem, Leonelzinho negou que estivesse com registro indeferido. Disse apenas que as certidões de quitação das multas não “haviam chegado a tempo”, mas que isso seria resolvido com a Corte. Em seguida, encaminhou a questão para sua assessoria jurídica, que, até o presente momento, não retornou chamadas ao seu telefone celular.

[SAIBAMAIS 4]Polêmico

Durante a eleição de 2012, Leonelzinho se viu no centro de diversos escândalos que estouraram no período eleitoral. Em um deles, confessou que sua esposa, Adriana Bezerra, recebeu irregularmente do programa Bolsa Família. Depois, em setembro daquele ano, prestou depoimento ao Ministério Público em investigação sobre uso ilícito de verbas públicas em uma ONG ligada ao parlamentar e acúmulo de cargos nas Prefeituras de São Gonçalo do Amarante.

O vereador já foi acusado também de participar do roubo de bicicletas banners do PSDB em Messejana em 2011, e de ter ameaçado de morte o ex-vereador Francisco Alves (PRTB) durante discussão sobre paternidade de uma obra da Prefeitura. Alves chegou inclusive a registrar Boletim de Ocorrência contra o vereador.

Na época, Leonelzinho se defendeu e disse que era vítima de perseguição política na Messejana - bairro onde atua politicamente -, tendo sido inclusive ameaçado de morte. Ao ser reeleito entre os vereadores mais votados de 2012, exibiu em sua diplomação faixa e camiseta com os dizeres "os humilhados serão exaltados".

Redação O POVO Online
com informações do TRE-CE

TAGS