PUBLICIDADE
Notícias

Dilma:meta do Minha Casa Minha Vida 3 é 3 mi de moradias

13:50 | 05/06/2014
A presidente Dilma Rousseff informou nesta quinta-feira, 05, que a terceira fase do programa habitacional Minha Casa Minha Vida (MCMV) deve ter como meta a construção de três milhões de moradias. Em discurso na reunião do Conselho de Desenvolvimento, Econômico e Social (CDES), Dilma disse que essa meta pode ser ampliada para 4 milhões, o que permitiria a entrega de um milhão de habitações por ano. Segundo ela, até o momento, o máximo entregue foram 960 mil moradias em um ano. "Então é possível chegar a esse número (4 milhões), mas não colocamos como meta. Três milhões é o mais realista que as empresas podem chegar. Meta é aquela que, quando você vê que vai cumprir, amplia", disse.

O anúncio do Minha Casa Minha Vida 3 era esperado na semana passada, mas não aconteceu.

Dilma aproveitou o discurso na reunião do conselho para fazer um balanço do seu governo e da gestão anterior, do presidente Lula. Segundo a presidente, houve um avanço no modelo de concessões de rodovias em seu governo, porque, no governo Lula, não houve concessão para duplicação ou construção de terceira pista. "Se concedia para manter. O que não era bom", afirmou. Agora, destacou, concessão de rodovias ocorre só para investimento em duplicação, em redefinição de percurso, modernização ou construção da terceira pista. Ela lembrou que foram alteradas as regras também para investimentos e cobrança de pedágio.

Dilma afirmou ainda que a estrutura de financiamento de longo prazo exige que haja condições de amortização e investimento adequadas com o que se exige do concessionário A presidente destacou a relevância do programa Água para Todos. "Nosso objetivo é mudar as condições de acesso à água de forma radical", disse.

Segundo ela, estão sendo investidos R$ 33 bilhões em segurança hídrica, em obras estruturantes que vão do Ceará à Bahia. A presidente lembrou que foi criado o Regime Diferenciado de Contratações (RDC) para contratação de obras públicas e da Empresa de Planejamento e Logística (EPL) para pensar o Brasil no longo prazo, além de um novo modelo regulatório para portos e ferrovias.

Dilma disse que seu governo também melhorou o processo de licenciamento ambiental, com simplificação de procedimentos.

Também assumiu a importância do investimento em mobilidade urbana, que dispõe de uma carteira de R$ 143 bilhões. Ela disse que também entregou 5.548 km de rodovias que, se somados com o governo Lula, chegam a 8.630 km de rodovias. "O que mostra que conseguimos dar um salto na concessão. Mudamos o modelo de concessão, o que vai ser importante para o PAC 3", disse.

Dilma afirmou também que foram ampliados e construídos 13 estaleiros e privatizados seis aeroportos. A presidente ainda destacou que há 21 autorizações para portos, que somam R$ 21 bilhões.

TAGS