PUBLICIDADE
Notícias

Garis se acorrentam na Câmara Municipal em protesto contra Prefeitura

Alguns manifestantes estão reunidos com vereadores para discutir reivindicações

12:05 | 20/05/2014
NULL
NULL

Atualizada às 17 horas

Os trabalhadores da Empresa Municipal de Limpeza Urbana (Emlurb), em greve desde 23 de abril, realizam protesto na Câmara Municipal nesta terça-feira, 19. Quatro garis se acorrentaram nas galerias do Plenário Fausto Arruda para cobrar da Prefeitura Municipal uma solução para as reivindicações do grupo.

De acordo com o vereador João Alfredo (Psol), uma parte dos manifestantes se reuniu com vereadores integrantes da Comissão de Negociação da Casa para tentarem chegar a um acordo. O vereador pontuou que os manifestantes reclamam principalmente da ameaça de que o contra cheque do mês seja zerado por causa dos dias em greve. O fechamento das contas municipais deve ser feito na quarta-feira, 21, segundo João Alfredo.

Após reunião com a Comissão de Negociação, foi acertado que um grupo de representantes dos garis se reunirá na quarta-feira, 21, às 13h, com o secretário de Planejamento de Fortaleza, Phelipe Nottingham, e o de Conservação e Serviços Públicos, João Pupo. Segundo o líder do prefeito na Câmara, vereador Evaldo Lima (PCdoB), o principal impasse, que diz respeito ao desconto no pagamento, só será resolvido na reunião; as demais reivindicações, como melhoria nas condições de trabalho, já foram acertadas.
[SAIBAMAIS 1]
De acordo com o Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Fortaleza (Sindifort), a negociação com a Prefeitura foi suspensa após o acordo feito em audiência de negociação na sede do Ministério Público do Trabalho (MPT), em 15 de abril, não ter sido cumprido pela Emlurb e Prefeitura. Na ocasião, diz nota do sindicato, a administração municipal se comprometeu a apresentar, em 24 horas, uma resposta aos garis para que pudessem encerrar a paralização.
[FOTO2]

 

 

 

 

 

 

Os trabalhadores afirmam que permaneceram acorrentados na Câmara até que a Prefeitura negocie as reivindicações dos garis, que são melhores condições de trabalho, reestruturação da empresa, defesa de direitos e reposição negociada dos dias paralisados.

Redação O POVO Online

TAGS