PUBLICIDADE
Notícias

Desembargador cobra de Zezinho dados sobre possível uso da máquina da Assembleia

A campanha, organizada pela Casa, é investigada por abuso de poder político e uso eleitoreiro para alavancar candidatura de Zezinho ao governo

18:24 | 30/05/2014
NULL
NULL
O corregedor regional eleitoral do Ceará, desembargador Abelardo Benevides, determinou nesta sexta-feira, 30, que o presidente da Assembleia Zezinho Albuquerque (Pros) apresente, no prazo de cinco dias, toda documentação referente à campanha “Ceará sem Drogas”. O evento, realizado pela Casa, é investigado por abuso de poder político e uso eleitoreiro

Segundo denúncia da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), a campanha possui indícios de uso eleitoreiro para promover pré-candidatura de Zezinho ao governo. De acordo com o promotor Igor Pinheiro, do Grupo Auxiliar da Procuradoria Eleitoral, a ação busca analisar se o programa realmente busca debater o problema das drogas, ou se é apenas “casuísmo eleitoral”.

[SAIBAMAIS 2]A denúncia foi ajuizada pelo procurador regional eleitoral do Ceará, Rômulo Conrado. Segundo ele, a medida busca evitar que um programa oficial sirva como legitimador de candidaturas políticas, uma vez que toda a estrutura da Assembleia vem sendo usada na execução da campanha.

A ação ocorre um dia após a Polícia Federal fazer batida na Câmara Municipal de Fortaleza, em investigação envolvendo uso da máquina da Casa para beneficiar candidatura de Eunício Oliveira (PMDB) ao governo. No caso, a PRE apura se o presidente da Casa, Walter Cavalcante (PMDB), utilizou de veículos do Legislativo para levar vereadores até eventos pró-Eunício.
 
Campanha
 
Organizada pela Assembleia, a campanha "Ceará sem drogas" percorre municípios do interior em eventos de combate às drogas. A ação já passou por Fortaleza, Crato, Sobral e Limoeiro do Norte, ocorrendo inclusive em jogos do campeonato cearense de futebol. 
 
A reportagem tentou entrar em contato com Zezinho Albuquerque via sua assessoria de imprensa, mas as ligações não foram atendidas. 
 
Redação O POVO Online
com informações do MP-CE 

TAGS