PUBLICIDADE
Notícias

Alvo de ação por infidelidade, Adail Carneiro diz que era "desprezado" pelo PDT

Adail Carneiro questiona que, mesmo tendo participado ativamente do partido, nunca foi convidado para assumir qualquer cargo pelo PDT

16:42 | 30/04/2014
Suplente que assumiu vaga de Patrícia Saboya (PDT) após a deputada ser indicada ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), Adail Carneiro (ex-PDT, hoje PHS) reagiu nesta quarta-feira, 30, a uma ação do PDT que reivindica o seu mandato na Justiça Eleitoral. Segundo o parlamentar, acusado de infidelidade partidária, decisão de trocar a legenda pelo PHS ocorreu pois ele era alvo de “desprezo” na antiga sigla.

“O partido estava me convidando a deixa-lo. Eu via a maneira como eu era tratado pelo partido, de maneira com desprezo mesmo”, diz o deputado. Adail Carneiro questiona que, mesmo tendo participado ativamente do partido, nunca foi convidado para assumir qualquer cargo pelo PDT nos níveis Federal, Estadual ou Municipal.

[SAIBAMAIS 1]Segundo ele, suplentes que tiveram votação inferior à dele hoje ocupam cargos nesses governos. “É uma ingratidão, eu era tratado como se não fizesse importância para o projeto”, diz. Adail Carneiro teve34.406 votos na última legislação. O primeiro suplente após dele, Evandro Leitão, que teve 31.850, ocupa a Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) no Estado.

Iraguassu Teixeira Filho, que teve 14.821 votos, foi indicado pelo partido como secretário executivo da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da Prefeitura de Fortaleza. Já Júlio Brizzi, que teve apenas 4.330 votos, é secretário executivo da Secretaria do Esporte do Estado.

Redação O POVO Online

TAGS