PUBLICIDADE
Notícias

Luizianne Lins critica no Facebook Carnaval promovido pela gestão de RC

A ex-prefeita disse que a atual gestão tem "desconstruído" o trabalho feito pelo governo petista

11:22 | 05/03/2014
NULL
NULL

Atualizada às 12h15min

A ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT) alfinetou a gestão do atual prefeito Roberto Cláudio (Pros) nesta quarta-feira, 5. A crítica, publicada no Facebook de Luizianne, foi referente aos eventos do Carnaval de Fortaleza neste ano. “Fico muito triste de ver que a atual Prefeitura de Fortaleza está tentando desconstruir as importantes conquistas culturais deixadas pelo nosso Governo”, disse a petista.

Sem o apoio da Prefeitura de Fortaleza, blocos carnavalescos tradicionais como o Luxo da Aldeia e o Num Ispaia Sinão Ienche, tiveram de lidar, até o último minuto, com a incerteza de saírem às ruas.
[SAIBAMAIS 3]
“Ajudamos a impulsionar o Carnaval de Fortaleza e levar para o nosso povo uma festa alegre, divertida e irreverente. Além de dar um grande brilho ao desfile da Domingos Olímpio com os nossos Maracatús”, destacou a ex-prefeita.

Ao texto publicado na rede social, Luizianne acrescentou fotos que mostram foliões nos blocos de Carnaval segurando faixa com os dizeres “Tô com saudade da Lôra”.

Entenda o caso

Blocos como o Luxo da Aldeia, Sanatório Geral, Polo da Dona Mocinha e Num Ispaia Senão Iênche tiveram dificuldades para sair nas ruas durante o Carnaval. A festa no Polo da Mocinha desde 2008 era promovida pela Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor), transformando a rua Pe. Climério, na Praia de Iracema, em um dos redutos do Carnaval na cidade. O espaço reunia centenas de pessoas e envolvia, pelo menos, seis blocos.

Dilson Pinheiro, organizador do Num Ispaia Senão Iênche, explica, no entanto, que na quinta-feira, dia 20, teve uma reunião como secretário de Cultura, Magela Lima, e saiu de lá com a promessa de que a festa aconteceria. “Eu não sou irresponsável de envolver tanta gente sem ter a palavra do secretário”, disse por telefone o carnavalesco, que multiplicou a notícia entre músicos e foliões.

Na última quarta-feira, Dilson recebeu a ligação de uma funcionária da Secultfor informando que o Polo da Mocinha não iria funcionar.

Na sexta-feira, 28, em entrevista ao jornalista Ruy Lima, no programa Grande Jornal da rádio O POVO/CBN, Magela Lima confirmou a reunião com o carnavalesco, mas argumentou que não assinou nenhum contrato. “O Carnaval é feito com um orçamento e este ano comportou um numero ‘x’ de eventos”, disse. “Sem contrato não existe cancelamento de nada. Não houve promessa. Houve uma conversa”, afirmou.

Redação O POVO Online

TAGS