PUBLICIDADE
Notícias

PSDB acusa Dilma de usar máquina de olho na reeleição

15:21 | 24/01/2013
O PSDB criticou duramente, em nota oficial distribuída na tarde desta quinta-feira, o pronunciamento oficial da presidente Dilma Rousseff, em cadeia nacional de rádio e TV na noite de quarta-feira, no qual ela anunciou a redução nas tarifas de energia elétrica e acusou os que fazem 'previsões alarmistas'. Assinada pelo presidente nacional da legenda, Sergio Guerra, a nota dos tucanos acusa o governo do PT de "ultrapassar o limite perigoso para a sobrevivência da jovem democracia brasileira". E tece a seguinte avaliação sobre a fala de Dilma: "Durante os oito minutos de divulgação obrigatório por parte das emissoras de rádio e TV brasileiras, a presidente Dilma faltou com a verdade, fez ataques a seus adversários, criticou a imprensa e desqualificou os brasileiros que ousam discordar de seu governo."

Para os tucanos, em vez de a presidente assumir sua responsabilidade de gestora do País e fazer o governo produzir, o que se viu no pronunciamento foi "o lançamento prematuro de uma campanha à reeleição, às custas do uso da máquina federal e das prerrogativas do cargo presidencial". No comunicado, o PSDB faz um alerta aos brasileiros para o fato de se utilizar a cadeia nacional de rádio e TV "para promoção pessoal e política da presidente", destacando que isso "fere frontalmente os fundamentos do estado democrático."

O PSDB avaliou ainda que o pronunciamento foi "a mais agressiva utilização do poder público em favor de uma candidatura e de um partido político", feito "mais uma vez, sob o pretexto de anunciar a redução do valor das contas de luz, já prometida em rede nacional há quatro meses e alardeada em milionária campanha televisiva paga pelos contribuintes". E continua nas críticas: "O caráter político-partidário do pronunciamento oficial da presidente pode ser constatado inclusive pela substituição do brasão da República pela marca publicitária do atual governo na vinheta de abertura da "peça publicitária" veiculada em cadeia nacional."

Para os tucanos, a presidente Dilma Rousseff deveria ser a primeira a reconhecer-se como presidente de todos os brasileiros. "Agora os divide em dois grupos: o 'nós' e o 'eles', os 'vencedores e os 'derrotados', os 'do contra' e os 'a favor', é como se estivesse fazendo um discurso numa reunião interna do PT, em meio ao agitar das bandeiras e ao som da charanga do partido", disse o comunicado, concluindo: "O conceito de República foi abandonado".

Além da manifestação do presidente nacional do PSDB contra o pronunciamento de quarta-feira da presidente Dilma Rousseff, outros integrantes da legenda também se alinharam em discursos nessa linha. O secretário de Energia de São Paulo, José Aníbal (PSDB), por exemplo, disse mais cedo nesta quinta-feira que o que surpreendeu "foi a politização absoluta do anúncio feito em cadeia nacional". Segundo o tucano, "a presidente usou espaço na televisão para fazer picuinha política, o que é inaceitável".

TAGS