PUBLICIDADE
Notícias

Psol do Ceará classifica aliança do partido com o DEM de "irresponsável, suicida, absurda e injustificável"

Clécio Luis disputa, em Macapá, o 2º turno com o atual prefeito do município, Roberto Góes (PDT)

12:47 | 16/10/2012
O vereador João Alfredo leu, nesta terça-feira (16), carta aberta do PSol Ceará em que considera "irresponsável, suicida, absurda e injustificável" a aliança de seu partido, no Macapá, com o DEM. Lá, Clécio Luis disputa o 2º turno com o atual prefeito do município, Roberto Góes (PDT). A carta também critica "o silêncio das instâncias nacionais" do Psol.

Veja a carta na íntegra:

Carta aberta do PSOL/Ceará

O Partido Socialismo e Liberdade, seção cearense, por meio de sua Comissão Executiva Estadual, diante da irresponsável, suicida, absurda e injustificável política de alianças do Psol em Macapá e diante do silêncio das instâncias nacionais do partido e em respeito às resoluções democráticas do partido quanto à política de alianças, se dirige ao conjunto do partido e à sociedade brasileira para:

1.
REPUDIAR, da forma mais veemente possível, a aliança realizada
pela campanha de nosso candidato à prefeito de Macapá, Clécio Luis, com o DEM e outros setores, candidatos e partidos conservadores e reacionários daquela capital; seu efeito devastador e desmoralizador para o nosso pequeno, mas, aguerrido e necessário partido é semelhante à filiação (e candidatura) de um miliciano no Rio de Janeiro, prontamente rechaçada pela direção nacional do partido.

2.
DEPLORAR a postura de nosso único representante na Câmara Alta, o Senador Randolfe Rodrigues, que, negando sua atuação em Brasília de combate ao DEM, às oligarquias e à corrupção (vide a cassação de Demóstenes), patrocina alianças com esses mesmos setores em seu Estado natal, o Amapá.

3.
ESTRANHAR o silêncio de nosso Presidente Nacional, Dep. Ivan
Valente, cuja trajetória exemplar de combativo militante comunista não se coaduna com a omissão até o presente momento; Ivan não pode passar à história como o dirigente em cuja gestão se patrocina a liquidação - que não queremos consumada - de nosso partido.

4.
EXIGIR da Direção Nacional do Partido o CUMPRIMENTO DE
NOSSAS RESOLUÇÕES PARTIDÁRIAS, DESAUTORIZANDO, desde já, publicamente essa aliança, DETERMINANDO a não participação de figuras públicas do DEM (e de outros partidos da direita) em nossa Campanha Eleitoral (inclusive no programa eleitoral) e ABRINDO procedimento de ética para apuração da conduta de filiados que se choca contra as decisões partidárias.

5.
CONCLAMAR [email protected] @s parlamentares, dirigentes, militantes,
[email protected] e simpatizantes do PSOL em todo o país a SE LEVANTAR contra essa vil conduta que desonra e envergonha a [email protected] nós e a DEFENDER de forma veemente o nosso Partido Socialismo e Liberdade [email protected] [email protected], estejam ele/a/s dentro ou fora do partido; o lugar de quem quer se aliar e fazer política com a direita conservadora, corrupta e reacionária não é o PSOL. As campanhas do partido em Fortaleza, no Rio de Janeiro e em outros municípios demonstram que a coerência com nossos princípios é o melhor caminho a seguir.

VIVA O PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE

Fortaleza, 16 de outubro de 2012

Partido Socialismo e Liberdade - Comissão Executiva Estadual - Ceará

TAGS