PUBLICIDADE
Notícias

Família Gomes emplaca apadrinhado em Fortaleza

10:15 | 29/10/2012
Numa derrota para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o deputado estadual Roberto Cláudio, do PSB, foi eleito prefeito de Fortaleza com 53,02% dos votos. É a primeira vez em 24 anos que o prefeito e o governador serão do mesmo partido, a partir de janeiro de 2013.

A eleição do candidato do PSB representa uma vitória do clã dos Ferreira Gomes, que em junho rompeu com o PT e lançou Roberto Cláudio na disputa contra o petista Elmano de Freitas. Significa ainda uma derrota de Lula, que cedeu aos apelos da prefeita Luizianne Lins (PT) e foi a Fortaleza fazer campanha para Elmano.

O envolvimento do ex-presidente em Fortaleza azedou de vez as relações do ex-ministro Ciro Gomes com Lula. Sem esconder a mágoa com o antigo chefe, Ciro afirmou neste domingo (28) que o ex-presidente foi "muito incorreto" com ele na eleição de Fortaleza. "A forma como ele fez tudo, o descuido, foi incorreção comigo." Apesar da decepção com Lula, o governador do Ceará, Cid Gomes, garantiu que o PSB vai manter a aliança nacional com o PT. Além de Fortaleza, os dois partidos se dividiram nas eleições de Belo Horizonte, Campinas e Recife. Cid defendeu que o PSB mantenha o apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff, em 2014, mesmo depois do crescimento do partido e do fortalecimento do governador de Pernambuco e presidente da sigla, Eduardo Campos.

"Nacionalmente não enxergo nenhum problema. Se a presidente Dilma, que está fazendo um grande governo, reconhecido pela população, for candidata à reeleição, nós estaremos com ela", afirmou. Ao contrário de Lula, Dilma não foi pedir votos para o candidato petista.

Com a vitória do médico sanitarista Roberto Cláudio, o grupo de Cid Gomes saiu fortalecido para eleger seu sucessor no governo do Ceará. Um dos postulantes é o senador Eunício Oliveira, do PMDB, que indicou o vice da chapa do socialista. Já a prefeita Luizianne Lins ficou enfraquecida com a derrota de seu afilhado político. Ela tem pretensões de disputar o governo do Estado daqui a dois anos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

TAGS