PUBLICIDADE
Notícias

Veja na íntegra a fala de Marcos Cals sobre o que ele pensa para as pocilgas e galinheiros de Fortaleza

A assessora do candidato tucano, Rosanna Amazonas, reclamou do destaque dado ao assunto e afirmou que havia interesse em prejudicá-lo

16:35 | 19/09/2012

A assessora do candidato Marcos Cals (PSDB), Rosanna Amazonas, durante participação do tucano na série "A Hora da Verdade, reclamou de uma publicação na página do O POVO Online no Twitter que falava da proposta do prefeiturável voltada para pocilgas e galinheiros. O texto acabou sendo corrigido imediatamente.

Em seguida, Rosana também reclamou da matéria publicada no portal O POVO Online, com o seguinte título: "Marcos Cals diz que irá regularizar as pocilgas e os galinheiros de Fortaleza". Ao ler a matéria e perceber que o texto não falava que o candidato iria criar pocilgas e galinheiros, ela afirmou que faltava agregar ao material a parte em que o tucano tinha defendido o incentivo a outros setores, como movelarias e fábricas de confecção. O pedido foi atendido, mas a assessora não ficou satisfeita, afirmando que havia interesse em prejudicar o candidato. Além disso, questinou o método de trabalho dos profissionais do O POVO.

Abaixo, a íntegra da fala de Marcos Cals sobre o assunto no programa "A Hora da Verdade", em que ele fala em "estimular com dinheiro mesmo" pocilgas e galinheiros. Proposta inusitada que, pelos critérios de relevância jornalística, ganhou destaque na matéria, sendo priorizada em relação aos outros setores considerados mais convencionais.

Cláudio Ribeiro: Uma das propostas do senhor de inserção na sociedade é construção de pocilgas e galinheiros na periferia, o senhor já falou disso já. Eu queria que o senhor explicasse melhor quantos o senhor pretende construir?

"Veja bem. Você acha que eu ia dizer "vamos construir pocilgas e galinheiros. Quem disse isso foi a Luizianne que não conhece a periferia. Ela tava dizendo, eu vi na emissora de televisão, que o candidato Marcos Cals, do PSDB, vai estimular pocilgas e galinheiros. A realidade é a que eu conheço, é a que eu ando. Eu fui no (bairro) Luciano Cavalcante participar de um aniversário de uma pessoa, e lá, naquela casa, aquela família fazia renda com uma pequena pocilga e com um pequeno galinheiro. Galinha poeideira. Eu dizia até que a Luizianne não sabia bem o que era galinha poedeira: é aquela que põe ovo. Certo? (A família) vivia daquilo. Ora, se é uma realidade eu vou mandar fechar? Não, aí eu vou pegar a vigilância sanitária, organizar, dar as condições técnicas para as pessoas e estimular com dinheiro mesmo. Por que os outros podem fazer e eu não posso?
E vou ensinar na movelaria, porque tem pequenas movelarias, tem fábrica de facção, de confecção. Entendeu? Tem fábrica de marcenaria. Eu tenho andado, eu tenho visto, as pessoas vivem desse comércio informal. Agora eu vou tratar de regularizar e dar as condições técnicas. É diferente (de estimular). Como ela (Luizianne Lins) não anda na periferia, só quer andar aqui na Aldeota, só quer conversar com o pessoal que não sofre, porque eu acho que talvez tenha prometido além da conta, e não conseguiu cumprir, aí fica dizendo: "Ah, o Marcos vai estimular pocilga e galinheiro. Ora, será que eu sou maluco?".

 

Ouça também o áudio com a proposta de Marcos Cals para pocilgas e galinheiros:

[VIDEO1] 

Redação do O POVO Online

TAGS