PUBLICIDADE
Notícias

Ideli nega envolvimento na compra de lanchas pela Pesca

16:02 | 16/05/2012
Em depoimento de mais de três horas à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara, a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, afirmou nesta quarta que não tem ligação pessoal com os proprietários da empresa Intech Boating, fabricante das 28 lanchas compradas pelo Ministério da Pesca, em 2008 e 2010. Matéria publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo mostra que a empresa doou R$ 150 mil para o PT de Santa Catarina, Estado em que Ideli concorreu e perdeu as eleições para governadora, em 2010.

"Não tenho relação nenhuma, nem pessoal, de conhecimento, não sei o nome de cor, não faz parte das minhas relações", afirmou a ministra. Ela fez questão de frisar que a doação da Intech Boating foi legal. "A contribuição foi feita ao Comitê Financeiro do PT. Não há contribuição para a minha campanha. Foi uma doação dentro da legalidade", disse Ideli.

No depoimento, a ministra negou envolvimento na compra de 28 lanchas pelo Ministério da Pesca. Ela levou documento do Conselho de Ética da Presidência da República que manda arquivar a denúncia contra ela. "Não assinei, não contratei, não licitei", afirmou a ministra. Ela observou que pagou a parcela de R$ 5,2 milhões à empresa porque isso fazia parte do contrato em vigor. "Executei o pagamento com base em pareceres técnicos. Na época, não havia nenhuma auditoria ou investigação sobre o contrato em nenhum órgão", alegou Ideli.

Segundo ela, a auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) não a arrola entre as 12 pessoas que terão de dar explicações sobre o contrato de R$ 30 milhões para a compra de 28 lanchas. "A auditoria foi feita depois que saí do Ministério e meu nome nem é citado", afirmou a ministra. O depoimento de Ideli estava marcado para a semana que vem, mas foi antecipado para esta quarta pelos governistas. O governo quis aproveitar a decisão do Conselho de Ética da Presidência da República, que decidiu arquivar a denúncia contra a ministra e, dessa forma, esvaziar a sua convocação.

TAGS