PUBLICIDADE
Mundo
Cultura

Fabricação artesanal de órgãos na Alemanha é Patrimônio da Humanidade

17:33 | 07/12/2017
Organista faz limpeza do Órgão de Bach na Igreja de São Tomás, em LeipzigTradição entra para lista da Unesco junto de técnicas como a da confecção da pizza napolitana e a dos chapéus do Panamá. Com cerca de 50 mil instrumentos, a Alemanha tem a maior densidade de órgãos do mundo.Uma tradição alemã acaba de ser declarada Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade: a fabricação artesanal de órgãos e sua música. Ao lado dela, também entraram na lista da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) a arte napolitana da confecção de pizza, a música da gaita irlandesa e o método artesanal de elaboração dos chapéus do Panamá.

O reconhecimento foi anunciado nesta quinta-feira (07/12) pelo comitê intergovernamental da organização. Com a decisão, a música e a criação de órgãos se tornam o terceiro patrimônio cultural alemão na lista internacional da instituição.

"Com cerca de 50 mil órgãos, a Alemanha tem a maior densidade de órgãos do mundo", disse a comissão alemã da Unesco. "Cada órgão é único, porque é construído especialmente para o espaço arquitetônico em que irá soar", enfatizou o vice-presidente da comissão, Christoph Wulf.



Na Alemanha, há cerca de 400 empresas construtoras de órgãos artesanais com aproximadamente 1,8 mil funcionários. Tais instrumentos são tocados por volta de 3,5 mil organistas profissionais e outros 10 mil voluntários no país.

"Há milênios que o órgão é um bem cultural na consciência da humanidade", avalia o especialista em órgãos Michael Kaufmann. Faz três anos que a construção e a música de órgãos já fazem parte da lista alemã de patrimônios culturais, que atualmente inclui 68 itens, como o trabalho das parteiras e panificação.

Pizza para todos

A pizza napolitana também conquistou um espaço na cobiçada lista da Unesco. Para celebrar, Nápoles resolveu oferecer pizza gratuita para todos nesta quinta-feira, conforme prometido pela Associação dos pizzaiolos napolitanos caso saíssem vitoriosos.

Apesar da popularidade mundial, a pizza tem sua origem reivindicada pela cidade italiana, com a Associação para a Verdadeira Pizza Napolitana estabelecendo diretrizes muito claras sobre o que faz do produto uma autêntica pizza napolitana.

Em um livro de regras de 11 páginas, a associação estabelece, por exemplo, que "o cozimento deve ser feito exclusivamente em um forno à lenha que atingiu a temperatura de cozimento de 485 graus Celsius", e que o tempo de cozimento "não deve exceder 60-90 segundos".

Até sexta-feira, o comitê intergovernamental da Unesco, formado por representantes de 24 países, discute em Jeju, na Coreia do Sul, a inclusão de um total de 35 formas de habilidade e conhecimento na lista de Patrimônios Culturais.

Na quarta-feira já haviam sido incluídas no catálogo o estilo de música punto guajiro, de Cuba, a técnica de tecelagem sitalpati, de Bangladesh, e a dança zaouli, da Costa do Marfim.

IP/dpa/kna/efe

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App



DW Brasil