PUBLICIDADE
Mundo

Petroleiro iraniano naufraga na costa chinesa após acidente

10:20 | 14/01/2018
Um petroleiro iraniano, em chamas há dias depois de uma colisão com outro navio, nos arredores da costa da China, afundou neste domingo, e autoridades do Irã declararam que "não há esperança" de sobreviventes entre os 29 marinheiros a bordo que estão desaparecidos.

A televisão estatal iraniana informou que a embarcação afundou neste domingo, dias após a colisão no Mar da China Oriental. O presidente Hassan Rouhani expressou suas condolências e pediu que as agências governamentais investiguem a tragédia e tomem as medidas necessárias, de acordo com a TV estatal.

Na China, a emissora estatal CGTN também informou que o petroleiro naufragou e disse que o registrador de dados de voz do navio, que funciona como uma caixa preta de

avião, foi recuperado.

A causa da colisão, a 257 quilômetros da costa de Xangai, ainda não está clara. Três corpos foram recuperados do mar, deixando 29 membros da tripulação desaparecidos. A tripulação era de maioria iraniana, mas também faziam parte dois marinheiros procedentes de Bangladesh.

O cargueiro chinês CF Crystal, de bandeira panamenha, que colidiu com o petroleiro, tinha 21 membros da tripulação, todos sobreviveram ao acidente.

O petroleiro foi operado por cinco companhias diferentes desde que foi construído, em 2008, de acordo com a Organização Marítima Internacional. A Companhia Petroleira Nacional Iraniana (NITC) se descreve como a maior frota de petroleiros no Oriente Médio. Esta é a segunda colisão de um navio da empresa em menos de um ano e meio.

Fonte: Associated Press

Agência Estado