Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

França analisa avanço dos Jogos Olímpicos de Paris

10:36 | Jul. 25, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

O presidente francês, Emmanuel Macron, reuniu-se nesta segunda-feira (25) com os principais atores dos Jogos Olímpicos de Paris-2024 para um "balanço" sobre os desafios organizacionais, especialmente a segurança após o caos durante a final da Liga dos Campeões.

A dois anos do início do evento, que acontecerá entre 26 de julho e 11 de agosto de 2024, Macron quer que os Jogos Olímpicos sejam uma prioridade de seu novo mandato.

Enquanto há quem interprete esta reunião como uma tentativa do governo de retomar o controle da organização, outros lamentam, porém, que não seja mais do que um balanço.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Inicialmente, este encontro previa reunir todos os atores envolvidos, mas a lista de ministros e secretários presentes foi reduzida.

Além de Macron, o encontro conta com a presença do presidente do Comitê Organizador dos Jogos de Paris 2024 (COJO), Tony Estanguet, e de vários ministros - Bruno Le Maire (Economia), Gérald Darmanin (Interior) e Amélie Oudéa-Castéra (Esportes) -, entre outros atores.

No momento, não há vazamentos sobre quais decisões serão tomadas.

Está prevista outra reunião após o verão boreal (inverno no Brasil) com a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, e a presidente da região parisiense, Valérie Pécresse, entre outras, segundo o Palácio do Eliseu. Ambas expressaram seu desconforto por não terem sido convidadas para a de hoje.

O objetivo desta reunião de trabalho, como Macron descreveu na quinta-feira, "será que os ministros façam um balanço e, eventualmente, observem as fraquezas".

"A ideia é ter conhecimento do calendário, das próximas etapas", completou.

Algumas dessas fraquezas já são bem conhecidas: a tensão orçamentária, devido à inflação gerada pelo conflito na Ucrânia, e o desafio de segurança.

Por coincidência de calendário, esta reunião acontece cinco dias após a publicação pelo jornal satírico "Canard Enchaîné" de um relatório provisório do Tribunal de Contas, ao qual a AFP também teve acesso, dedicado à segurança dos Jogos Olímpicos.

O Tribunal de Contas identifica diferentes motivos de preocupação compartilhados por várias fontes de segurança, que vão da proteção da cerimônia de abertura com sua inédita encenação no rio Sena à falta de previsão de agentes de segurança privada, ou mesmo riscos terroristas e ataques cibernéticos.

Desde os incidentes na final da Liga dos Campeões no Stade de France, em 28 de maio, foram levantadas questões nacionais e internacionais sobre a capacidade da França de proteger um evento dessa magnitude.

A questão do orçamento também deve ser abordada. Um relatório do comitê de auditoria da organização dos Jogos Olímpicos relatou recentemente o risco de inflação.

Um risco "impossível de imaginar alguns meses atrás", lamentou Estanguet.

Uma fonte familiarizada com o dossiê relatou à AFP as dificuldades em se ajustar aos 4 bilhões de euros (US$ 4,1 bilhões) - ingressos, patrocinadores e contribuições do Comitê Olímpico Internacional (COI) -, um orçamento que tem a garantia do Estado.

O OCOG já está em negociações com o COI para tentar se livrar de algumas obrigações nas especificações que lhe custam caro.

Transporte, emprego gerado pelos Jogos, o legado, ou como animar os franceses com as Olimpíadas são outros assuntos que devem ser abordados durante o encontro.

cto/jr/dam/tjc/mr/tt

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar