Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Os terremotos mais mortíferos no Afeganistão

09:06 | Jun. 22, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

O terremoto que deixou pelo menos 1.000 mortos na madrugada desta quarta-feira (22) no Afeganistão é um dos mais mortíferos do país.

A seguir, uma lista dos terremotos que causaram mais mortes nos últimos 30 anos no país:

Em 1º de fevereiro de 1991, um terremoto de magnitude 6,9 atingiu o Afeganistão e o noroeste do Paquistão, deixando pelo menos 1.500 mortos, segundo as autoridades afegãs.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O movimento telúrico foi sentido no norte da Índia e no Tadjiquistão.

Em 4 de fevereiro de 1998, um terremoto deixou cerca de 4.500 mortos e milhares de desabrigados na província de Takhar (nordeste), na fronteira com o Tadjiquistão.

Em 30 de maio, um terremoto de magnitude 6,6 sacudiu novamente o nordeste do país, deixando cerca de 5.000 mortos, 1.500 feridos e causando destruição em várias aldeias nas províncias de Takhar e Badakhshan.

Em 3 de março, um violento terremoto de magnitude 7,4 atingiu o norte do país, matando entre 70 e 150 pessoas na província de Samangan, segundo fontes.

Em 25 de março, outro terremoto de magnitude 6,1 deixou mais de 800 mortos, 300 feridos e milhares de desabrigados na cordilheira Hindu Kush, no norte. A aldeia de Nahrin, com 20.000 habitantes, foi completamente destruída.

Em 11 de junho de 2012, três tremores de magnitude 5,2, 5,4 e 5,7 na escala Richter destruíram 114 casas na província de Baghlan, deixando 75 mortos.

Em 26 de outubro de 2015, um terremoto de magnitude 7,5 atingiu o maciço de Hindu Kush, no caminho entre o Afeganistão e o Paquistão, deixando um total de 380 mortos nos dois países.

ang/mw/pz/an/zm/mr

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar