Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Rússia estima que pode exportar 50 milhões de toneladas de cereais

06:21 | Mai. 27, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

A Rússia anunciou nesta sexta-feira (27) que pretende exportar 50 milhões de toneladas de grãos na próxima temporada, um forte aumento em relação ao ano atual, tendo como pano de fundo o risco de uma crise alimentar em razão de sua ofensiva contra a Ucrânia.

As exportações russas de grãos estão atualmente sendo retidas por sanções à cadeia de suprimentos e ao setor financeiro, enquanto as da Ucrânia são prejudicadas pela ofensiva dos militares russos.

"Nesta safra (2021-2022) já exportamos 35 milhões de toneladas de cereais, incluindo 28,5 de trigo, e até o final do ano agrícola (30 de junho, nota do editor) estamos calculando 37 milhões de toneladas de grãos exportados", disse o ministro da Agricultura, Dmitry Patrushev, em um fórum de exportadores do setor.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"E na próxima temporada (a partir de 1º de julho de 2022) estimamos nosso potencial de exportação em 50 milhões de toneladas", acrescentou.

A Rússia estima que a safra de 2022 será de 130 milhões de toneladas, ante 121,4 no ano passado.

A Rússia e a Ucrânia são potências agrícolas, seu trigo, milho e girassol, em particular, abastecem o mercado mundial.

O conflito desencadeado pela Rússia e as sanções adotadas em represália minaram o equilíbrio alimentar global, levantando temores de uma grave crise que afetará particularmente os países mais pobres.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse estar pronto para ajudar a "superar a crise alimentar", mas sujeitou tal postura ao levantamento das sanções contra Moscou, o que lhe rendeu acusações de chantagem.

Um alto funcionário do Kremlin admitiu na semana passada que a Rússia estava se preparando para essa crise já no final de 2021, mesmo antes do início do conflito ucraniano, em fevereiro de 2022, que Moscou negava preparar na época.

bur/spi/mr

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar