Participamos do

UE adverte que pagamento em rublos por gás russo burla sanções europeias à Rússia

11:01 | Abr. 27, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, advertiu, nesta quarta-feira (27), que o pagamento em rublos pelo gás russo, como exige Moscou, é uma violação às sanções adotadas pela União Europeia (UE) contra a Rússia pela guerra na Ucrânia.

"Se isto não está previsto em contrato, pagar em rublos é um descumprimento de nossas sanções", disse Von der Leyen, em Bruxelas, e acrescentou que, por essa razão, a decisão de pagar em rublos representa "um alto risco para as empresas".

Durante o dia, a empresa russa Gazprom havia anunciado a suspensão do fornecimento de gás para a Polônia e para a Bulgária, porque ambos os países se negaram a pagar em rublos, como exige o governo russo desde o início da guerra na Ucrânia.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O presidente Vladimir Putin declarou, no mês passado, que a Rússia somente aceitaria o pagamento do gás em sua moeda nacional em resposta às sanções impostas pelos países da UE e por outras nações ocidentais.

Em uma declaração em Bruxelas, Von der Leyen, assegurou que a Polônia e a Bulgária estavam sendo abastecidas de gás por "países vizinhos" e afirmou que o anúncio da Gazprom era "uma provocação" por parte do governo russo.

"Não surpreende que o Kremlin utilize combustíveis fósseis para nos chantagear. Isso é algo para o qual a Comissão Europeia está se preparando, em estreita coordenação e solidariedade com os Estados-membros e com os sócios internacionais", afirmou Von der Leyen.

De acordo com a líder europeia, aproximadamente 97% dos contratos firmados por empresas e por países europeus para comprar gás russo estabelece pagamentos em euros ou em dólares americanos.

Desta forma, acrescentou, a exigência russa "de pagar em rublos é uma decisão unilateral e não conforme aos contratos. As empresas com tais contratos não devem atender as demandas russas".

ahg/mb

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar