Participamos do

Afegão é condenado a 12 anos de prisão na Holanda por crimes de guerra

12:52 | Abr. 14, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

Um ex-funcionário de uma prisão no Afeganistão foi condenado nesta quinta-feira (14) por um tribunal holandês a 12 anos de prisão por crimes de guerra cometidos na década de 1980 sob o regime comunista.

Abdul Razzaq Rafief, de 76 anos, "tratou os prisioneiros de maneira cruel e desonrosa e os privou arbitrariamente de sua liberdade", o que significa que cometeu "crimes de guerra" em violação ao direito internacional humanitário, disse o juiz Els Kole de um tribunal de Haia, que processou este homem sob o princípio da jurisdição universal.

Abdul Razzaq Rafief esteve sob o regime comunista afegão no comando da prisão Pul e Charkhi, a leste de Cabul, entre 1983 e 1990. Nesse período, opositores do regime comunista, que então lutava - com o apoio da URSS - - contra uma insurreição mujahideen, foram presos.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Abdul Razzaq Rafief emigrou para a Holanda em 2001 e posteriormente adquiriu a nacionalidade holandesa, antes de ser preso em 2019.

Ele alegou não ter ocupado essa posição e estar muito doente para lembrar seu nome.

A construção de Pul e Charkhi, a maior prisão do Afeganistão, começou na década de 1970. O local foi denunciado por grupos de direitos humanos devido às péssimas condições de vida dos detentos.

Os talibãs abriram os portões da prisão, que permaneceu em funcionamento sob vários regimes, quando tomaram a capital em agosto passado. Eles afirmam que os onze quarteirões da ala principal abrigavam cada um 1.500 detentos, em uma prisão originalmente construída para 5.000 presos.

jhe-cvo/mab/es/aa

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar
1