Participamos do

O discreto acampamento de mil soldados russos em um bosque perto de Kiev

10:13 | Abr. 06, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

Escondidos sob um bosque de pinheiros, mil soldados russos construíram um enorme acampamento no nordeste de Kiev, invisível para quem está na rodovia. Agora abandonado, restaram apenas as construções vazias e tudo que deixaram para trás.

Em meio à zona rural e a 3 quilômetros dos primeiros núcleos povoados, este bosque fica próximo da localidade de Buda-Babynetska, 40 quilômetros a nordeste de Kiev.

Nada se vê, quando se passa pela estreita e pouco movimentada estrada que cruza a mata. As frondosas copas dos pinheiros também tornam o local quase imperceptível até do céu.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A improvisada estrutura é, no entanto, ampla e ocupa uma área correspondente a quase dois campos de futebol, constataram os jornalistas da AFP.

"Havia quase mil pessoas estacionadas aqui", diz "Ferrari", o responsável pela Guarda Nacional ucraniana na região, conhecido por este apelido.

"Chegaram cruzando a fronteira em direção a Chernobyl", relata ele à AFP, sem conseguir dar uma data precisa da chegada, ou da saída, destes soldados.

Diferentemente das outras zonas da região, regularmente atacadas e assoladas pela violência dos combates, nesse bosque onde viviam os soldados russos não há rastro de destruição de bombardeios aéreos, nem de artilharia.

"O Exército ucraniano atacava, sobretudo, as instalações onde havia os armazéns de munições. Nesse local, havia apenas soldados. Não é justo bombardear, do ponto de vista do Exército ucraniano, se há somente pessoas", explicou "Ferrari".

Os únicos sinais de violência são um furgão branco e um Lada vermelho, alvejados por balas e com restos de sangue em uma porta e em um assento. Os dois veículos estão abandonados no acostamento da estrada do bosque. Seus ocupantes, civis, foram assassinados enquanto dirigiam, e os corpos, retirados há pouco tempo.

As tropas de Moscou ficaram durante semanas nesta floresta de pinheiros. De diferentes tamanhos, profundidade e largura, os abrigos foram construídos solidamente e com paciência.

O chão, uma mescla de terra branca e areia, foi fácil de cavar para dar lugar às cabanas. Cortaram pinheiros para ter toras usadas como teto, ou como parede para estes esconderijos. Com chapas de até dois metros, centenas de caixas de madeira vazias, que haviam transportado mísseis Grad, serviram de proteção contra o vento e a chuva.

Muitos desses esconderijos estão cobertos por galhos de pinheiro. Os jornalistas puderam contar mais de 100 deles dispersos em todo bosque, mais ou menos próximos uns dos outros.

Foram, ainda, construídos banheiros, fechados por uma cobertura, ou uma extensa tela, reconhecíveis por seu teto em formato triangular e também feito das chapas desmontadas das caixas de mísseis.

As tropas russas saíram da região de Kiev no final de março, quando os soldados instalados neste acampamento também tiveram de partir.

"Vimos os soldados patrulhando a região para que ninguém se aproximasse", contou Bohdan, um adolescente de 15 anos que vive a 3 quilômetros dali, à AFP. "A gente se aproximava, procurava por eles e, quando encontrávamos os soldados, íamos embora sem que eles vissem a gente", completou.

epe/roc/dbh/pc/dd/tt

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar