Participamos do

Forças russas dispersam a tiros protesto na Ucrânia

23:21 | Mar. 21, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

Autoridades ucranianas acusaram nesta terça-feira (22) as forças russas de disparar contra manifestantes desarmados na cidade ocupada de Kherson, no sul, onde vídeos mostraram moradores fugindo de bombas de efeito moral e balas.

"Os invasores dispararam contra as pessoas que foram às ruas pacificamente, sem armas, protestar pela liberdade, nossa liberdade", declarou o presidente ucraniano, Volodimir Zelensky.

Vídeos postados nas redes sociais e no aplicativo Telegram mostraram pessoas aglomeradas na Praça Liberdade de Kherson para protestar contra a tomada da cidade pelas forças russas.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Dezenas de homens e mulheres envoltos na bandeira azul e amarela da Ucrânia gritavam "voltem para casa" e "glória à Ucrânia", antes que as forças de segurança disparassem bombas de efeito moral para dispersá-los.

Soldados russos foram vistos disparando para o ar, sem indícios de que suas armas foram direcionadas diretamente a civis.

No entanto, as imagens mostraram um grupo de pessoas cuidando de um homem mais velho que estava atordoado e sangrando.

O funcionário local Yuriy Sobolevsky disse que a perna do idoso estava "gravemente ferida" e que ele "perdeu muito sangue".

No entanto, ele acrescentou que os médicos estão tratando os feridos e que "suas vidas estão fora de perigo".

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, postou um vídeo do incidente no Twitter.

"Em Kherson, criminosos de guerra russos atiraram em pessoas desarmadas que protestavam pacificamente contra os invasores", afirmou Kuleba.

Kherson, uma cidade de quase 300.000 habitantes antes da guerra, foi a primeira grande cidade ucraniana a ser tomada pelas forças russas na primeira semana da invasão.

A população de Kherson organizou várias manifestações contra o controle russo da cidade, desafiando diretamente a versão russa de que a cidade foi "libertada".

oc-arb/mtp/mas/dga/am

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags