Participamos do

Cuba acolhe 292 migrantes haitianos que ficaram à deriva no mar

19:01 | Fev. 10, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

Pelo menos 292 migrantes haitianos que viajavam em uma embarcação rumo aos Estados Unidos e tiveram sua rota desviada pelas correntes marinhas chegaram ao litoral central de Cuba sem água nem comida, reportou nesta quinta-feira (10) um meio de comunicação local.

O jornal Invasor, da província central de Ciego de Ávila, noticiou que "foram cinco dias na água, sem se dar conta de que estavam à deriva. Devem ter navegado umas 400 milhas, até que acabaram desembarcando na costa de Avilanian, precisando de água e comida".

As autoridades cubanas e a Cruz Vermelha abrigaram os náufragos em um antigo edifício escolar, que está em reforma para ser transformado em unidade habitacional, após atendimento médico, incluindo testes para a detecção de covid-19 e malária.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Ali são oferecidos café da manhã, almoço, jantar e lanches. Há higiene, roupas de cama, toalhas, água, serviços médicos e estão sendo coordenadas outras ações para garantir o bem-estar", disse ao jornal Ana Francisco, vice-governadora da província.

Punta de Maisí, no extremo leste de Cuba, é separada do Haiti pelos cerca de 80 km do canal de Barlavento, cujas fortes correntes desviam com frequência o curso dos botes de emigrantes haitianos e os fazem naufragar ou os levam à província de Guantánamo, em Cuba.

Nesta região do leste da ilha caribenha, as autoridades já socorreram mais de 4.000 haitianos que chegaram em 76 embarcações entre 2001 e 2021, lembrou a publicação.

Outros 50 haitianos foram acolhidos em Ciego de Ávila em outubro do ano passado por um período de 25 dias, antes de serem repatriados por via aérea a Porto Príncipe.

cb/lp/ll/rpr/mvv

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags