Participamos do

Presidente do Congresso peruano pede que chefe de gabinete se afaste

16:34 | Fev. 04, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

A presidente do Congresso peruano, a opositora María del Carlem Alva, pediu nesta sexta-feira (4) ao questionado novo chefe de gabinete ministerial do presidente Pedro Castillo, Héctor Valer Pinto, que se afaste.

"O Congresso [...] e todas as bancadas pedimos [a Valer] que dê um passo para o lado. Parece que há consenso nisso, mas tomara que nos ouça", disse Alva a jornalistas sobre o chefe de gabinete, empossado na terça-feira pelo presidente peruano.

Advogado e parlamentar de 62 anos, Valer tornou-se alvo de desconfiança depois que vários jornais de Lima publicaram na quinta-feira que sua esposa e sua filha universitária o denunciaram por suposta violência doméstica em 2016.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O político negou ser um "agressor", disse que nunca foi condenado por violência doméstica e afirmou que continuaria à frente do Conselho de Ministros, exceto que o Congresso lhe negue o voto de confiança.

Alva negou, ainda, um pedido que Valer lhe fez nesta sexta-feira para que o Congresso realize uma sessão extraordinária neste sábado para decidir se concede ou não o voto de confiança, imprescindível para que o novo gabinete se mantenha em funções.

Vários partidos da oposição anteciparam que negarão o voto de confiança ao gabinete liderado por Valer.

Este é o terceiro gabinete nomeado por Castillo em seus seis meses no poder, que se caracterizaram por tropeços próprios e disputas internas no governo, bem como por embates da direita radical, que tentou em dezembro abrir um processo de impeachment contra ele, indeferido pelo Congresso.

O cargo de "presidente do Conselho de Ministros" do Peru, criado em 1856, dá muito poder e prestígio, mas é muito volátil.

Na prática, é o número dois do Executivo, pois o vice-presidente não tem responsabilidades nem salário no país enquanto o presidente está em funções, embora o suceda se deixar o comando antecipadamente até encerrar seu mandato.

Assim, a vice-presidente de Castillo, Dina Boluarte, exerce paralelamente o cargo de ministra de Desenvolvimento Social, o que significa que está subordinada a Valer.

fj/gm/mvv

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags