Participamos do

Biden enviará militares para hospitais e distribuirá testes e máscaras

Mas não está claro quando os testes estarão disponíveis
07:51 | Jan. 14, 2022
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governo dos EUA anunciou nesta quinta, 13, que enviará militares para hospitais de seis Estados americanos que enfrentam picos de casos de covid causados pela variante Ômicron e distribuirá mais 500 milhões de testes, além de máscaras de melhor qualidade para a população. O país vem batendo recordes seguidos de casos e de hospitalizações.

O presidente americano, Joe Biden, disse que estava orientando sua equipe a comprar mais 500 milhões de testes para distribuição, dobrando a compra anterior, enquanto seu governo luta para responder à variante. "Isso significará um bilhão de testes no total para atender à demanda futura", disse Biden. "E continuaremos trabalhando com os varejistas e vendedores online para aumentar a disponibilidade."

Mas não está claro quando os testes estarão disponíveis. Biden anunciou o primeiro lote de 500 milhões pouco antes do Natal e, segundo funcionários da Casa Branca, ele não será entregue até o final deste mês. O presidente disse que os exames em casa - juntamente com mais de 20 mil locais de testagem em todo o país - ajudarão a atender à crescente demanda de pessoas que tentam continuar trabalhando e estudando, apesar da rápida disseminação do vírus.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Além disso, Biden disse que está enviando 120 médicos militares para seis Estados onde os hospitais foram tomados por casos da Ômicron. Segundo ele, este é apenas o início, pois pretende enviar mais de mil militares para ajudar médicos e enfermeiros a lidar com o aumento dos casos.

Recordes

O presidente apareceu ao lado de Lloyd J. Austin, secretário de Defesa, e Deanne Criswell, diretora da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências, para falar sobre as equipes que irão para os locais mais atingidos. Segundo ele, as equipes devem começar a chegar a hospitais de Michigan, New Jersey, Novo México, Nova York, Ohio e Rhode Island para ajudar na triagem de pacientes, permitindo a liberação de espaços nos departamentos de emergência.

Biden também prometeu revelar na próxima semana planos para ajudar os americanos com máscaras gratuitas e de alta qualidade, que são melhores na prevenção da infecção. Especialistas dizem que as máscaras KN95 e N95 protegem melhor contra a variante Ômicron do que as máscaras de pano ou cirúrgicas que muitas pessoas usam. "Como eu disse nos últimos dois anos, por favor, use máscara. Acho que faz parte do seu dever patriótico", disse o presidente, reconhecendo que "não é tão confortável e é uma dor de cabeça".

Os anúncios fazem parte dos esforços do governo para combater o recente surto de casos. Com o surgimento da Ômicron, houve um aumento de contágios, chegando a mais de 780 mil em média por dia em todo o país. Embora aparentemente a Ômicron cause sintomas menos graves, o número de americanos hospitalizados com covid-19 atingiu um recorde de cerca de 142 mil.

Após as festas de fim de ano, o país passou a registrar recordes diários de novos casos, e ultrapassou a marca de um milhão de infecções em um único dia. O elevado número de pessoas infectadas quase provocou o colapso nos postos de saúde e hospitais, pois muitos trabalhadores também contraíram a covid. A alta nos EUA impulsionou o aumento do número de infecções em todo o mundo, que registrou 3,6 milhões de casos na quarta-feira. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS).

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags