Participamos do

Países pobres rejeitam 100 milhões de doses de vacinas perto do vencimento

18:29 | Jan. 13, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

Os países pobres rejeitaram em dezembro cerca de 100 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 que foram doadas com prazo de validade muito curto, informou nesta quinta-feira (13) uma representante do Unicef.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) acusou em diversas oportunidades os países ricos de represarem as vacinas e ofertarem aos países pobres imunizantes muito próximos do vencimento, o que classificou de "vergonha moral".

No final de dezembro, a Nigéria incinerou mais de 1 milhão de doses doadas da vacina AstraZeneca com vida útil muito curta e que perderam a validade antes que pudessem ser usadas.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que tem papel logístico na distribuição de vacinas, os países estão se recusando a receber imunizantes muito próximos do fim da validade.

Em dezembro, "mais de 100 milhões de doses foram rejeitadas", declarou a diretora da divisão de suprimentos do Unicef, Etleva Kadilli, a uma comissão no Parlamento Europeu.

"A maioria das negativas se deve à data de validade", frisou.

Kadilli explicou que os países precisam de doses que possam ser conservadas por algum tempo para poder planejar as campanhas de vacinação e chegar a populações que vivem em áreas de difícil acesso.

Em outubro e em novembro, 15 milhões de doses oferecidas pela União Europeia foram recusadas pelos países pobres. Destas, 75% eram vacinas da AstraZeneca que teriam uma vida útil inferior a dez semanas quando fossem efetivamente entregues.

Em todo o mundo, 9,4 bilhões de doses de vacinas contra a covid-19 foram administradas, informou hoje o diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. Contudo, o responsável apontou que mais de 90 países não atingiram a meta de vacinar 40% da população até o fim de 2021.

"Mais de 85% da população africana, ou seja, 1 bilhão de pessoas, ainda não recebeu a primeira dose", destacou Tedros.

bur-rjm-apo/mm/an/mb/rpr/mvv

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags