Participamos do

Morte de três funcionários de MSF na Etiópia em junho foi 'intencional', segundo a ONG

15:29 | Jan. 13, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

A morte de três funcionários dos Médicos Sem Fronteiras (MSF), incluindo uma espanhola, em junho de 2021 na região etíope de Tigré foi "intencional", anunciou a ONG no final de uma investigação interna nesta quinta-feira (13).

Os mortos foram a madrilense María Hernández, de 35 anos, coordenadora de emergência na área e com experiência anterior no México; Yohannes Halefom Reda, assistente de coordenação do MSF de 31 anos, e seu motorista, Tedros Gebremariam Gebremichael, também 31 anos.

Eles estavam a caminho da cidade de Abi Adi para ajudar as pessoas feridas nos combates, segundo o MSF.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Depois de uma hora dirigindo, tiveram que parar o veículo. Seus corpos foram encontrados a uma distância entre 100 e 400 metros do veículo e seus ferimentos mostraram que todos sofreram vários tiros à queima-roupa", declarou Paula Gil, presidente de MSF Espanha, na investigação publicada nesta quinta-feira.

"Esta informação confirma que o ataque não foi consistente com um fogo cruzado, mas sim com a morte intencional de três trabalhadores humanitários", acrescentou, enfatizando que o veículo estava estampado com o logotipo do MSF e que seus ocupantes eram "claramente identificáveis".

A ONG afirmou que fez "todos os esforços possíveis para entender o que aconteceu com eles", mas que ainda não conseguiu determinar quem foi o autor do ataque.

As autoridades afirmaram que uma investigação está em andamento, disse o MSF, que se declarou "preocupado" com as posições tomadas pelo governo contra as organizações humanitárias.

Em julho, um responsável acusou algumas ONGs de "armar o outro lado", em alusão aos rebeldes da Frente de Libertação Popular de Tigré (TPLF), sem fornecer mais detalhes.

"Na Etiópia, nossas equipes enfrentam regularmente assédio, ameaças sérias e prisões", disse Gil.

Devido à suspensão temporária de suas atividades em algumas regiões e ao estabelecimento, no início de novembro, do estado de emergência, MSF agora atua apenas nas regiões Afar e Sul.

md/sba/jvb/ap/mvv

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags