Participamos do

Jornal português destaca crianças portuguesas que 'só falam brasileiro'

16:23 | Nov. 11, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Uma matéria publicada pelo jornal português Diário de Notícias, um dos mais tradicionais veículos impressos de Portugal, na quarta-feira, 10, chamou a atenção do público brasileiro ao afirmar que há crianças portuguesas que "só falam brasileiro". O motivo apontado pela publicação seria a influência de youtubers do Brasil, os mais assistidos pelos "miúdos" portugueses, que estariam mudando a forma de falar das crianças.

"Dizem grama em vez de relva, autocarro é ônibus, rebuçado é bala, riscas são listras e leite está na geladeira em vez de no frigorífico. Os educadores notam-no sobretudo depois do confinamento - à conta de muita horas de exposição a conteúdos feitos por youtubers brasileiros. As opiniões de pais, professores e especialistas dividem-se entre a preocupação e os que relativizam, por considerarem tratar-se de uma fase, como aconteceu com as novelas", diz o jornal português.

O tema se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais no Brasil. Os usuários se dividiram entre aqueles que fizeram piada sobre a matéria, apontando a influência brasileira noticiada como uma espécie de "colonialismo reverso" e fazendo comparações entre termos utilizados em Brasil e Portugal, enquanto outros usuários - tanto brasileiros quanto portugueses - questionaram o teor xenofóbico da publicação, ao se referir ao português falado no Brasil como "brasileiro", apesar do idioma ser um só.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Outro personagem citado na matéria e repercutido pelas redes foi o youtuber brasileiro Luccas Neto, apresentado pelo Diário de Notícias como um dos mais assistidos em Portugal. Alguns usuários escreveram que o produtor de conteúdo carioca estaria vingando a colonização portuguesa na América.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags