Participamos do

Fitch reafirma rating AAA da Alemanha, com perspectiva estável

19:38 | Out. 29, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Fitch reafirmou o rating da Alemanha em AAA, com perspectiva estável. Em comunicado, a agência diz que a classificação reflete a diversidade e o alto valor agregado da economia alemã, assim como suas fortes instituições e o registro de finanças públicas sólidas que permitiram uma resposta política robusta ao choque provocado pela pandemia.

A combinação da posição da Alemanha como o principal emissor de referência para a zona do euro e a postura de política monetária "ultra-flexível" do Banco Central Europeu (BCE) garantem uma flexibilidade de financiamento significativa, diz a Fitch. É seu superávit estrutural em conta corrente que sustenta a posição do país como credor externo líquido.

A agência observa que a recuperação da economia alemã desacelerou em 2021 e, mais recentemente, foi prejudicada por restrições de oferta que afetam o grande setor manufatureiro do país, com uma economia orientada pelo comércio. Para o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha, a Fitch prevê um crescimento de 3,6% em 2021 e 4,2% em 2022, mas com riscos de baixa, "à luz dos desenvolvimentos recentes".

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Na avaliação da Fitch, as negociações da coalizão para liderança alemã avançaram rapidamente desde as eleições gerais de setembro. "Muito provavelmente levarão a uma coalizão de três membros, na formação conhecida como semáforo, com o Partido Social-Democrata, que venceu as eleições com 25,7% dos votos, os Verdes (14,8%) e os Liberais (11,3%)". A expectativa da agência é que haja uma ampla continuidade na política econômica do país e nas principais questões da União Europeia.

Para a Fitch, o novo governo deve executar políticas fiscais sólidas durante seu mandato, uma vez que seguirá comprometido em frear a dívida institucional. Ao mesmo tempo, não deve ocorrer um retorno rápido à orientação fiscal pré-pandemia, com superávits orçamentários persistentes. "O aperto fiscal provavelmente será gradual, em linha com a orientação geral da Comissão da UE para apoiar a recuperação pós-pandêmica. O investimento verde e digital provavelmente aumentará nos próximos anos".

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags