Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

EUA: não vamos voltar aos lockdowns de março de 2020, já fizemos muito progresso

Autor - Agência Estado
Foto do autor
- Agência Estado Autor
Tipo Notícia

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, reforçou, em coletiva à imprensa, que os Estados Unidos não devem entrar em lockdowns como os vistos no auge da pandemia, em março do ano passado. "Já fizemos muito progresso na vacinação, muito progresso na economia", disse a porta-voz. Ela também reforçou que o governo tomará suas decisões com base na ciência e na avaliação de especialistas da saúde pública.
De acordo com Psaki, 20% dos casos nos Estados Unidos estão concentrados na Flórida. A porta-voz frisou a necessidade de incentivar que pessoas se vacinem e usem máscaras conforme orientação de autoridades médicas.
Questionada, ela afirmou que o governo americano ainda não tem previsão para revogar restrições a viajantes internacionais. Psaki disse não ter atualizações sobre essa decisão, mas que há discussões ocorrendo com autoridades oficiais.
No início da coletiva, o economista Gene Sperling, que coordena o aplicação do pacote fiscal aprovado em março pelo governo americano, afirmou que o presidente Joe Biden tem trabalhado para estender a moratória federal de despejo, mas ainda não conseguiu autoridade legal para fazê-lo.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Yellen anuncia medidas 'extraordinárias' do Tesouro para cumprir teto da dívida

INTERNACIONAL
17:47 | Ago. 02, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Secretária do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen informou nesta segunda-feira, em carta enviada ao Congresso americano, que o órgão adotou novas "medidas emergenciais" para cumprir o teto da dívida do país, que voltou a vigorar ontem, 1º.
De acordo com Yellen, um período de suspensão de emissão de dívida foi instaurado hoje e durará até 30 de setembro. Ela ainda informou aos congressistas que o Tesouro não poderá investir todo o dinheiro previsto para o Fundo de Aposentadoria e Deficiência da Função Pública e para o Fundo de Investimento em Títulos Governamentais do Thrift Savings Fund, um plano de previdência para funcionários e aposentados do serviço público dos Estados Unidos.
"Peço respeitosamente ao Congresso que proteja toda a fé e crédito dos Estados Unidos, agindo o mais rápido possível", disse Yellen ao fim da carta. A secretária, assim como a Casa Branca, tem defendido a suspensão do teto da dívida.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Fed: Se a criação de empregos acelerar, 'tapering' pode começar em outubro

ECONOMIA
17:24 | Ago. 02, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O diretor do Federal Reserve (Fed o banco central americano) Christopher Waller afirmou nesta segunda-feira que, se a criação de empregos acelerar nos Estados Unidos em julho e agosto, a autoridade monetária poderia anunciar o "tapering" em setembro e iniciar o processo de redução das compras de ativos em outubro.
"Devemos diminuir cedo e rapidamente os estímulos para abrir caminho para aumentos potenciais de juros em 2022", defendeu o dirigente durante entrevista à CNBC ao atrelar o "tapering" aos dados do relatório de empregos (payroll).
Waller reconheceu que a inflação nos EUA está bem acima da meta média de 2% do Fed - no acumulado em 12 meses até junho chegou a 5,4% -, mas disse esperar que os preços "esfriem" nos próximos meses. Ele frisou que as expectativas de inflação estão bem ancoradas no país.
Ao ser questionado sobre o movimento no mercados de Treasuries, o diretor do Fed disse que muitos fatores têm interferido na precificação desses ativos. "Desconfio que a variante delta do coronavírus esteja criando incerteza", afirmou. Nos últimos meses, os rendimentos dos títulos da dívida pública americana têm recuado mesmo com a divulgação de indicadores de atividade que indicam retomada econômica nos EUA.
Waller, contudo, afirmou que a cepa delta não deve ter um impacto "direto" na economia americana, devido ao ritmo de vacinação, mas ponderou que o mercado pode prever um efeito em parceiros comerciais dos EUA.
Ainda sobre o "tapering", o dirigente disse que é favor de se reduzir de forma mais rápida as compras de ativos atrelados a hipotecas (MBS, na sigla em inglês) do que as de Treasuries. Ele, contudo, ressaltou que a maioria do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) está mais inclinada a realizar o processo de forma simultânea.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Escolas de São Paulo podem receber presencialmente 100% dos estudantes

Educação
17:24 | Ago. 02, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A partir de hoje (2), as escolas estaduais, municipais e particulares do estado de São Paulo estão autorizadas a retornar às aulas presenciais, podendo atender até 100% dos estudantes. As aulas foram suspensas pelo governo paulista no início da pandemia, em março do ano passado. No início deste ano, as aulas foram retomadas, mas havia limite de 35% na capacidade de ocupação.

A volta presencial a partir de hoje ainda não será obrigatória. A expectativa é de que a obrigatoriedade passe a valer a partir de setembro. Segundo a Secretaria Estadual da Educação, caso o estudante ou sua família queiram permanecer com as aulas remotas ou online, o responsável legal deverá comunicar, por escrito, à unidade escolar, comprometendo-se a manter a frequência do aluno de forma digital.

As escolas vão poder atender 100% dos alunos desde que seja obedecido o limite de um metro de distanciamento entre eles. Cada escola ficará responsável por estabelecer esse limite de acordo com a sua capacidade física. Se a escola não puder receber a totalidade dos alunos de forma presencial, ela poderá adotar um sistema de revezamento.

Rede estadual

Só na rede estadual de ensino há 3,5 milhões de esrtudantes, que serão obrigados a usar máscara no interior da escola. Segundo a Secretaria Estadual da Educação, ao chegarem às escolas todas as pessoas terão a temperatura aferida e, caso esteja acima de 37,5 graus, será orientado a retonaro para casa. Os protocolos também incluem higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70% e dos ambientes e ambientes arejados com portas e janelas abertas. Os especialistas dizem que os aspectos mais importantes a serem adotados para evitar a transmissão do novo coronavírus (covid-19) são a ventilação e o uso de máscaras.

Já os professores e servidores deverão voltar às aulas presenciais, sem revezamento. Mas no caso daqueles com comorbidades, só voltarão às aulas presenciais 14 dias após a aplicação da segunda dose das vacinas Oxford/AstraZeneca/Fiocruz, Pfizer/BioNTech ou CoronaVac/Butantan/Sinovac ou dose única, no caso da vacina da Janssen.

A secretaria informou que os servidores e colaboradores que, por escolha pessoal, optarem por não se vacinar dentro do calendário local também deverão retornar.

Rede municipal

Na rede municipal de ensino, o limite de atendimento vai respeitar a capacidade física de cada unidade, mantendo o distanciamento de um metro entre os alunos. Segundo a Secretaria Municipal da Educação, todos os estudantes matriculados na educação infantil e no ensino fundamental e médio poderão ser atendidos na forma presencial e em sistema de revezamento semanal em no máximo duas turmas. Já nos Centros de Educação Infantil (CEI), poderão ser atendidas 60% das crianças e bebês matriculados, sem revezamento. A exceção é para os estudantes que compõem o grupo de risco. Nesse caso, eles devem permanecer em ensino remoto.

Por enquanto, a volta às aulas presenciais na rede municipal de São Paulo é facultativa, a critério dos pais ou responsáveis.

A orientação da prefeitura de São Paulo é para que as pessoas com qualquer sintoma da covid-19 procure auxílio médico e não compareça à unidade escolar.

Também a partir de hoje, os estudantes da rede municipal terão acesso às atividades de recuperação. Os estudantes com mais defasagem na aprendizagem em relação ao ano ou série em que estão matriculados vão participar da recuperação paralela no contraturno escolar.

Sociedade de Pediatria

Por meio de nota, a Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) disse que os pais não precisam ficar temerosos em mandar seus filhos para as escolas neste momento da pandemia. Segundo a entidade, pesquisas têm demonstrado que as crianças não são grandes transmissoras do vírus e não costumam evoluir de forma grave.

“A pandemia de covid-19 tem afligido todo o planeta e tem sido especialmente grave em nosso país, com mais de meio milhão de brasileiros perdendo suas vidas precocemente. Não obstante a isto, o número de crianças afetadas de forma grave e que evoluíram de maneira desfavorável foi relativamente pequeno”, disse Fausto Flor de Carvalho, presidente do Departamento de Saúde Escolar da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

“As pesquisas realizadas no Brasil e no exterior têm demonstrado que crianças não são grandes espalhadoras do vírus, que costumam ter quadros leves a moderados e quase metade delas são assintomáticas”, explicou

Para Carvalho, a ausência das aulas presenciais tem provocado outros danos às crianças, como distúrbios alimentares e de relacionamento interpessoal (distanciamento dos amigos e contato apenas com adultos), além da dificuldade de concentração. “Assim, cremos que é momento adequado para retomada de aulas presenciais. Os pais devem trabalhar com os filhos sobre as medidas de proteção e devem estar em contato com a escola. Qualquer sintoma respiratório a criança deve ser afastada e procurar o serviço médico para diagnóstico. Uma boa comunicação entre pais, escolas e profissionais da saúde vai colaborar para uma volta mais segura e com mínimos riscos a todos”, disse.

Já o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) é contra a volta às aulas neste momento. Para o sindicato, a volta as aulas presenciais só deveria ocorrer após os professores terem tomado a segunda dose da vacina contra a covid-19. “Mais do que ninguém sabemos que o lugar dos professores e estudantes é nas escolas, mas não é este o momento”, diz o sindicato.

“O processo de vacinação dos profissionais da educação e da população está em curso. Portanto, não existe o menor sentido no retorno às aulas presenciais em agosto. Há professores que só receberão a segunda dose da vacina em setembro. Apenas após a vacinação de todos com a segunda dose e a garantia de todos os protocolos sanitários para garantir a manutenção do controle da pandemia é que poderemos retornar às escolas”, disse o sindicato em comunicado publicado em seu site.

Escolas particulares

Segundo o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo (Sieeesp), há cerca de 12 mil escolas particulares no estado, com 2,4 milhões de alunos no ensino básico. Nas escolas particulares, de acordo com o sindicato, as aulas presenciais ocorrem desde março. Mas até então, havia limite de 35% sobre o número de matrículas. A partir de hoje, após um período de férias, as escolas particulares estão retornando as aulas presenciais, podendo atender até 100% dos alunos, desde que mantido o limite de distanciamento físico entre eles.

"As escolas particulares seguem todos os protocolos recomendados pelo Plano São Paulo [plano de reabertura econômica do estado em vigência durante a pandemia], das autoridades de saúde e educação e o próprio protocolo do Sieeesp, elaborado por médicos, pediatras e especialistas", disse o sindicato.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Geração de resíduos domiciliares e urbanos cresce na pandemia

Geral
14:38 | Ago. 02, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A geração de resíduos domiciliares e de limpeza urbana tiveram aumento médio de 10% no país em no ano passado, segundo levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

Segundo a análise dos sistemas de coleta em diversos municípios, a quarentena contra a pandemia de covid-19, que fez com que mais pessoas trabalhassem em casa, concentrou a geração de resíduos fora das áreas comerciais e industriais.

“As medidas de isolamento social e a adesão ao home office, adotado por boa parte das empresas, influenciaram diretamente na geração de resíduos domiciliares, que antes eram gerados nos grandes centros e áreas corporativas, elevando a demanda pelos serviços de limpeza urbana nas cidades”, explica o diretor-presidente da Abrelpe, Carlos Silva Filho.

O Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil, divulgado pela entidade no final do ano passado, mostra que, em 2019, a média per capita no país era de 379,1 quilos de resíduos sólidos gerados por ano. Em 2010, cada pessoa produzia em média 348,3 quilos de resíduos por ano.

Recicláveis

As mudanças de hábito durante a pandemia também mudaram o perfil dos resíduos urbanos, com um aumento médio de 25% na quantidade de materiais recicláveis coletados. De acordo com a Abrelpe, isso está ligado ao aumento das compras pela internet, que necessitam de mais embalagens para o envio dos produtos.

Segundo a associação, o crescimento do uso desses materiais não foi, entretanto, acompanhado de um aumento da reciclagem. “A reciclagem propriamente dita não cresceu na mesma proporção, já que boa parte do volume coletado foi encaminhada para unidades de disposição final devido ao fechamento ou à diminuição da atuação nas unidades de triagem em diversas cidades durante boa parte do ano passado”, destaca Silva Filho ao comentar como o trabalho das unidades de reciclagem também foi impactado pela pandemia.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Governo de São Paulo recebe nova remessa de IFA

Saúde
12:58 | Ago. 02, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governo de São Paulo recebeu na noite de ontem (1) um lote de 2 mil litros de insumo farmacêutico ativo (IFA) que viabilizará a produção de cerca de quatro milhões de doses da vacina contra a covid-19, que serão destinadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. A nova remessa veio da China e chegou no Aeroporto Internacional de Guarulhos às 21h.

De 17 de janeiro até o momento, o Butantan já disponibilizou 62,8 milhões de doses do imunizante ao PNI.

De14 de julho até hoje, foram entregues 9,7 milhões de doses da vacina CoronaVac, referentes à produção de um lote de doses processadas a partir dos 6 mil litros de IFA, recebidos no dia 26 de junho. Na madrugada do dia 13 de julho, o instituto recebeu carga recorde de 12 mil litros de matéria-prima para produzir e entregar outras 20 milhões de doses.

“É claro que à medida que progride a vacinação temos impacto na redução das internações, mortes e número de casos. Dessa forma, estamos não só vacinando como mantendo as medidas sanitárias ao passo que vamos estendendo a capacidade dos serviços e aumento de horário de funcionamento”, disse o secretário de Saúde, Gorinchteyn.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags