PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Suécia registra primeira morte de policial a tiros em 14 anos

O atirador não foi identificado e nenhum suspeito foi detido até o momento.

10:13 | 01/07/2021
Sede do parlamento sueco, o Sveriges riksdag, na capital do país, Estocolmo (Foto: Arild Vågen/Wikimedia Commons)
Sede do parlamento sueco, o Sveriges riksdag, na capital do país, Estocolmo (Foto: Arild Vågen/Wikimedia Commons)

Um policial foi morto a tiros na quarta-feira à noite em Gotemburgo, Suécia, algo que não acontecia há 14 anos, anunciaram as autoridades do país nórdico, que enfrenta um grave problema de tiroteios ligados a grupos criminosos.

O atirador não foi identificado e nenhum suspeito foi detido até o momento.

"Estamos decididos a resolver isto. É muito cedo par dizer se a polícia era ou não o alvo", declarou Klas Johansson, chefe de polícia da região oeste do país.

O ataque aconteceu no momento em que vários policiais patrulhavam Biskopsgården, subúrbio de Gotemburgo.

Um agente, de 30 anos, foi atingido por um tiro. Ele faleceu em consequência dos ferimentos no hospital.

A última morte de um policial em serviço em consequência da violência acontecera em 2007, na cidade de Nyköping, quando um condenado por assassinato estava sendo transferido para uma clínica psiquiátrica, segundo a rádio pública sueca.

Há vários anos, a Suécia tenta contra-atacar o avanço dos grupos criminosos, que elevaram o número de tiroteios fatais e acertos de contas em um país geralmente pacífico.

Em 2020 foram registrados mais de 360 incidentes com armas de fogo na Suécia, com 47 mortos e 117 feridos, números sem precedentes, segundo a polícia.

De acordo com o Conselho Sueco para a Prevenção do Crime, o número de vítimas dobrou em uma década.