PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Turquia: lira cai após remoção de presidente do BC e levanta temor em emergentes

17:38 | 21/03/2021

A lira turca recua perto dos 17% ante o dólar, em abertura do mercado marcada pela reação à notícia de que o presidente do Banco Central do país foi removido pelo líder Recep Tayyip Erdogan. O ato foi comunicado em diário oficial no sábado, 20, e ocorreu dois dias após uma alta dos juros no país acima do esperado por analistas. O dólar opera próximo as 8,40 liras, e há um debate sobre a possibilidade do movimento atingir outros mercados emergentes, incluindo o Brasil.

O economista-chefe do Instituto de Finanças Internacional (IIF, na sigla em inglês), Robin Brooks, afirma que algo semelhante ocorreu em 2018, quando a Turquia "era vista como idiossincrática, mas tivemos muito contágio". Segundo ele, os sinais iniciais são semelhantes hoje, e o peso mexicano e o rand sul-africano já apresentam perda de liquidez. Em seu Twitter, Brooks escreveu que "o Brasil está sendo citado nos mercados como o mais vulnerável, já que o Banco Central também subiu (juros) esta semana". O economista afirma que a última vez que o dólar atingiu o nível próximo a 8,50 liras foi em novembro, e cita que o valor vem sendo cogitado por analistas.

Com a alta recente nos rendimentos dos Treasuries, Brooks diz haver um cenário complicado para moedas emergentes, uma vez que os bancos centrais locais vem sendo obrigados a aumentar suas taxas de juros.

O movimento na Turquia veio após um aumento de 200 pontos-base na mais recente decisão de política monetária do país, superior ao consenso de elevação em 100 pontos, e levou as taxas de juros do país em 19%. Erdogan destituiu o então presidente do Banco Central, Naci Agbal. Sahap Kavcioglu foi nomeado como o novo chefe da autoridade monetária local. Desde 2019, é a terceira vez que o titular do cargo é destituído por Erdogan.

Kavcioglu se apresenta nas redes sociais como deputado pelo Partido da Justiça de Desenvolvimento (AKP, na sigla em turco), o mesmo do presidente Erdogan. Além disso, mantém uma coluna de economia no jornal Yeni Safak.