PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Terrorista britânico de 16 anos é preso por encabeçar grupo nazista

O jovem, cuja identidade foi preservada, confessou seus crimes e, com o andamento do julgamento pela Justiça, cumprirá dois anos de reabilitação em regime aberto. Segundo o portal The Guardian, ele era líder da Feuerkrieg Division, uma célula britânica neonazista que arquitetava atentados pela Europa

22:57 | 09/02/2021

Um menino de 16 anos do Reino Unido, considerado o terrorista mais jovem do país pela imprensa local, foi julgado em um tribunal da região de Cornuália por encabeçar um grupo neonazista de dentro da casa de sua avó. As informações foram apuradas pelo portal G1.

O jovem, cuja identidade foi preservada, confessou seus crimes e, com o andamento do julgamento pela Justiça, cumprirá dois anos de reabilitação em regime aberto. Segundo o portal The Guardian, ele era líder da Feuerkrieg Division, uma célula britânica neonazista que arquitetava atentados pela Europa, notoriamente um ataque liderado por Anders Breivik, terrorista de extrema-direita que matou 77 pessoas em 2011 na Noruega.

LEIA MAIS
» Reino Unido já interna 100 crianças por semana com síndrome rara pós-covid
» Reino Unido anuncia quarentena em hotéis a partir de fevereiro

Uma bandeira nazista, um laptop e a cópia de um texto com ideais nazistas estão entre os pertences do menino encontrados pela investigação, além de um desenho de um slogan nazista no jardim da casa da avó.

A polícia local invadiu a casa do terrorista em julho de 2019, segundo o portal Cornwall Live, após denúncias de que ele tentava construir uma arma. Ele havia encomendado um pôster com uma imagem de uma explosão de bomba atômica sobre o parlamento inglês.

Mark Dennis, juiz responsável pelo caso, disse que ele “entrou em um mundo digital de preconceito assustador”, mas isso poderia mudar, tendo em vista a confissão e o arrependimento apresentados pelo réu. “Você agora tem oportunidade de colocar isso para trás e redirecionar seu futuro”, declarou.

Advogados do jovem apontaram que ele passou a viver com a avó após perder contato com os pais devido a situações complicadas durante a infância. Viveu sua juventude distante das pessoas e sofrendo de problemas emocionais.

Discordando da declaração dada pela defesa do acusado, a promotora Naomi Parsons disse que a idade do jovem já era um alarmante e que sua maturidade foi considerada “além de sua idade cronológica”.